O nome da profissional está sendo mantido em sigilo depois da repercussão do caso
A médica que implorou em rede social para não ser mais assediada

Basta! Foi assim que uma médica canadense resumiu os constantes assédios sexuais que tem sofrido no trabalho. A situação de constrangimento e raiva chegou a tal ponto que a doutora fez um desabafo em rede social. A profissional diz que vai continuar trabalhando, e pediu para que os comentários levianos dos importunadores e as agressões físicas no consultório cessem imediatamente. Em poucas horas o texto dela foi lido por quase 30 mil pessoas.

Pelo jeito, faz tempo que a médica vinha sofrendo com as impertinências. Como paciência tem limite, mesmo, a dela chegou ao fim. Irritada com a inconveniência sexual que a persegue há anos, a doutora rasgou o verbo na conta dela em uma rede chamada Reddit.

"Não comente nos meus perfis profissionais, nas redes sociais sobre como você me acha atraente ou gostosa", afirmou no fórum online. "Eu só quero ir para o trabalho e, na pior das hipóteses, lidar com o assédio normal, e não com o assédio sexual”, disparou.

A médica mora na província de Ontário, no Canadá. Segundo ela, o assédio que sofre constantemente não é dos colegas de trabalho, como se poderia imaginar, mas dos pacientes. Os comentários e piadinhas dos homens que ela trata se tornaram insuportáveis.

Para a profissional da área de saúde, em um dos países mais evoluídos do mundo, é "assustadora a transgressão da linha do comportamento inapropriado", definiu assim a situação que enfrenta.

Com uma profissão que às vezes exige contato físico, ela disse que não pensa em mudar o jeito de trabalhar. A médica tem 20 e poucos anos, e garante que ama o que faz, mesmo tendo que enfrentar o comportamento de quem assustadoramente "cruza a linha".

"É exaustivo. Eu sou sua médica e preciso me aproximar de você para fazer meu trabalho e garantir que você esteja saudável. Não me pergunte se essa é a parte do exame em que transaremos, não me adicione em rede social, não me mande mensagem dizendo que quer me conhecer melhor", escreveu ela.

Para mostrar o quanto já foi vítima das agressões, a doutora relatou casos em que os pacientes extrapolam as insinuações grosseiras e indelicadas. Alguns chegam ao contato físico. "Um paciente agarrou nos meus seios com tanta força que me machucou", resumiu desta forma um dos piores episódios que já enfrentou.

Em dois dias, o post dela no site Reddit teve 28.000 reações. Cerca de 2.000 usuários também deixaram comentários de apoio. Entre as mensagens que ela recebeu tinham dicas e conselhos de como enfrentar a situação. Outras centenas de mulheres ainda escreveram sobre o assédio que também sofriam. Muitas histórias eram bem semelhantes.

Ao encerrar o texto, a médica fez mais um pedido: "não comentem nas redes sociais do meu escritório sobre o quanto vocês me acham atraentes e me chamam de gostosa".

Na medida em que os comentários foram crescendo, ela agradeceu às pessoas pelas palavras de apoio e experiências compartilhadas.

 

* a foto da capa é meramente ilustrativa (Site Pixabay)

 

 

Veja também

Olá, deixe seu comentário para A médica que implorou em rede social para não ser mais assediada

Enviando Comentário Fechar :/