Uma semana depois do roubo de cerca de 100 milhões de reais em Bacabal, no Maranhão, os cangaceiros voltaram a agir. Mas dessa vez eles é que foram surpreendidos
O frustrado assalto no Ceará mostrou uma reação que os bandidos jamais esperavam

A tática dos bandidos inclui ataques de surpresa, normalmente de madrugada. Eles se aproveitam de ruas vazias, o que facilita a fuga, e também de um policiamento menos ostensivo. Mas como a estratégia já estava ficando manjada, os assaltantes aperfeiçoaram as investidas e agora "cobrem" os carros com escudos humanos. Desse jeito, a polícia fica limitada em tentar conter o bando. Em Milagres, no interior do Ceará, deveria ter sido assim também. O problema é que quando os assaltantes chegaram às duas da manhã nas agências que seriam estouradas a PM já estava lá e o resultado do confronto foi uma tragédia. 

A cidade de Milagres fica no sul do estado cearense. O município tem, segundo cálculos do IBGE em 2018, quase 29 mil habitantes. A economia se baseia na agricultura e pecuária. 

A ideia do grupo que se enfiou nas ruas do centro era explodir duas agências bancárias vizinhas na rua Presidente Vargas e depois dar no pé. Antes eles roubaram um caminhão na estrada, que ficou atravessado em um dos acessos à cidade, e ainda fizeram 9 reféns. Mas ao se aproximarem dos bancos os criminosos eram aguardados pelos policiais. 


Serviço de inteligência surpreendeu os bandidos

 

O plano de ataque a Milagres foi descoberto com antecedência pelo serviço de inteligência de quatro estados: Sergipe, Alagoas, Bahia e Ceará. 

O complexo trabalho de investigação feito em conjunto pelas polícias estaduais tinha reunido informações de que um grupo criminoso estaria pronto para atacar agências bancárias nos municípios de Milagres ou Missão Velha. As duas cidades ficam na região de Cariri, a cerca de 500 km de Fortaleza.

A recepção ao bando foi a bala. O problema é que talvez a polícia não soubesse que tinham reféns no meio do grupo. 

O tiroteio durou 20 minutos e o saldo uma tragédia. Doze corpos foram encontrados sem vida. Entre eles, seis pessoas que tinham sido sequestradas. 

Sem conseguir levar nada em dinheiro, os bandidos que sobreviveram tentaram fugir. Três acabaram capturados. Um outro ainda foi morto depois de se esconder debaixo da cama de uma casa que ele havia invadido. O oitavo assaltante foi encontrado baleado dentro de um carro usado na fuga e não resistiu.

A polícia começou imediatamente os interrogatórios e dois presos disseram na delegacia que os reféns teriam sido executados pelos ladrões. Mas essa informação ainda carece de confirmação.  


Quem são os mortos

 

A história dos reféns mortos é cheia de coincidências e muita tristeza. A fatalidade foi ainda mais dramática para a família do comerciante de Serra Talhada, João Batista Magalhães, de 46 anos. 

O dono de uma loja de equipamentos de informática tinha saído de casa por volta de 21h30 para buscar a cunhada, o marido dela e um sobrinho no aeroporto de Juazeiro do Norte. João Batista levou como companhia um filho de catorze anos. Todos morreram. 

A outra família era de Brejo Santo e também tinha ido receber uma familiar em Juazeiro. Francisca Edneide era natural de Brejo, mas morava em Hortolândia, no interior de São Paulo. O pai, a mãe e um irmão foram busca-la no aeroporto. 

Os dois grupos se conheceram no área de desembarque e resolveram fazer a viagem de retorno juntos, com os carros passando pelo mesmo caminho. 

No meio do tiroteio um senhor da segunda família, identificado como Genário, começou a se sentir mal. Os bandidos autorizaram que ele se afastasse acompanhado do filho, mas Edneide e a mãe tiveram que continuar como refém dentro de um carro. A filha que acabara de chegar de viagem acabou morta.  

 

O caminho da morte

 

Para você entender como os dois grupos viraram vítimas no fogo cruzado a explicação é a seguinte. Serra Talhada fica em Pernambuco, quase na divisa com o Ceará. Por isso, os familiares de João Batista, que foram de São Paulo passar as festas de fim de ano no nordeste, decidiram pegar um voo até Juazeiro. O desembarque aconteceu às 23h. 

A distância entre as duas cidades é de 200 quilômetros e um dos caminhos possíveis passa por Milagres. De Serra Talhada até Milagres são 144 km. O tempo previsto é em torno de 2 horas. 

Brejo Santo fica ainda mais perto de Milagres. Apenas 23 km separam as duas cidades. A distância é percorrida em aproximadamente 17 minutos.  

Os dois grupos seguiam juntos, conforme combinaram no aeroporto. Eles já tinham avançado mais de 50 km quando foram parados pelos bandidos na BR-116. Na altura da ponte sobre o riacho Tamandu, que dá acesso à cidade de Milagres, os criminosos atravessaram um caminhão bloqueando a rodovia. Foi nesse ponto que as duas famílias se tornaram reféns. 

 
Quase 50 bandidos morreram em 2018

 

Os ataques dos novos cangaceiros são feitos normalmente por grupos numerosos. Em Milagres a polícia calcula que o bando tinha cerca de 30 criminosos. A morte de reféns, como aconteceu no Ceará, não é comum nessas investidas. 

O uso de escudos humanos tinha sido uma estratégia eficaz para os assaltantes até aqui. Os bandidos provavelmente passaram a usar esse tipo de "proteção" depois que vários companheiros se deram mal em meio ao fogo cruzado com equipes de segurança. 

O site OP9 fez um levantamento próprio baseado nas informações divulgadas em 2018. Em oito ataques a cidades de cinco estados do nordeste esse ano, 41 bandidos morreram. O site não contabilizou ainda as baixas da tentativa do assalto à Milagres. 

A partir de agora a polícia vai ter outro desafio no combate ao novo cangaço, não dar um tiro antes que os sequestrados estejam identificados e seguros para evitar o que os militares chamam de "danos colaterais". 

Até ontem, a estratégia policial de jogar pesado vinha alcançando resultados que eram comemorados pelas autoridades. A tática da perseguição implacável também tem dando certo. Em alguns casos os assaltantes fizeram o serviço em um estado e foram mortos em outro. 

Na maior queima já feita pela polícia 11 bandidos foram mortos em Santana do Ipanema, que fica em Alagoas, depois de terem atacado em Águas Belas, no interior de Pernambuco, uma agência do Bradesco. 

 

* o texto foi atualizado às 17h40 depois que surgiu a informação de que a mãe de Edneide também estava no grupo de sequestrados e foi mantida como refém junto com a filha. As duas estavam dentro do carro da família quando começou o tiroteio

Veja também

Olá, deixe seu comentário para O frustrado assalto no Ceará mostrou uma reação que os bandidos jamais esperavam

Já temos 10 comentário(s). DEIXE O SEU :)
Heuder grj

Heuder grj

Na minha opinião, a ação foi totalmente desastrada, 6 reféns mortos ! Serviço de inteligência mesmo é descobrir quem são os assaltantes e tirar-los de circulação em local mais apropriado, em quase todos assaltados a banco existem reféns. Nenhum dinheiro do mundo vale as vidas dessas vitimas, inclusive 2 crianças.
★★★☆☆DIA 10.12.18 02h56RESPONDER
Guilherme Mendes
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

O secretário de segurança pública do Ceará também está admitindo a falha grave na sequência da operação. Vamos esperar a conclusão das investigações, mas as mortes foram uma tragédia 

★★★★★DIA 10.12.18 09h19RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Leonardo Goncalves

Leonardo Goncalves

Resultado não foi trágico, erro não foi na execução, foi o meio necessário para se prender os bandidos. A perícia já concluiu os trabalhos? Os refens foram mortos pela polícia? Já está culpando a polícia pelas mortes, isso é trágico.
★★★★★DIA 09.12.18 20h13RESPONDER
Guilherme Mendes
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Leonardo, as investigações não são tão rápidas e as informações que chegam de lá são confusas. Só 15 horas depois da arruaça é que a mãe de uma das mortas começou a ser citada. O que dá para afirmar é que o serviço de inteligência trabalhou bem em descobrir o plano de ataque. O desdobramento é melhor se esperar antes de se fazer afirmações contundentes. Abraço 

★★★★★DIA 09.12.18 20h48RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
José carlos

José carlos

O trabalho teria sido exemplar se nao fosse a morte dos refens.
★★★★★DIA 09.12.18 01h33RESPONDER
Guilherme Mendes
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

José, com certeza. A polícia teve o mérito de descobrir o plano do bando, mas errou na execução. Lamentável. Grande abraço 

★★★★★DIA 09.12.18 10h14RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Marcos Camilo

Marcos Camilo

É muito importante a resposta da polícia a esses criminosos, infelizmente dessa vez houve morte de reféns.
★★★★★DIA 09.12.18 01h07RESPONDER
Guilherme Mendes
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Marcos, a ação da polícia serviu para mostrar aos bandidos que existe uma forte mobilização para conter esse tipo de ataque. Mas temos que reconhecer que o resultado foi trágico. Abraço e bom domingo. 

★★★★★DIA 09.12.18 10h16RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Lucia Luz

Lucia Luz

Excelente artigo
★★★★★DIA 08.12.18 17h25RESPONDER
Guilherme Mendes
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Obrigado, Lúcia. Venha sempre nos visitar. Abraço

★★★★★DIA 08.12.18 18h45RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Enviando Comentário Fechar :/