Pete Buttigieg ainda é um pré-candidato do partido Democrata. Mas ele já está em campanha pelo poder na Casa Branca
Estados Unidos pode ter o primeiro presidente gay na próxima eleição

As eleições americanas estão marcadas para novembro de 2020. Pelo lado Republicano não há dúvida que o presidente Donald Trump será o candidato em busca da reeleição. O estilo conversador do milionário o mundo conhece de sobra. A grande novidade vem do outro lado. 

Peter Paul Montgomery Buttigieg nasceu no estado de Indiana. Os pais eram professores na Universidade de Notre Dama. O senhor Joseph Buttigieg foi morar na América do Norte vindo de Malta. Dona Joseph Buttigieg nasceu por lá mesmo. 

A história de Pete Buttigieg começou no dia 29 de janeiro de 1982, na pequena cidade de South Bend. O menino cresceu estudando muito. Aprendeu a falar sozinho norueguês. Tornou-se poliglota mais tarde dominando idiomas como espanhol, italiano, maltês, árabe, dari e francês. 

Enveredou-se também pela música. Jovem se dedicou a tocar guitarra e piano. Já se apresentou com a Orquestra Sinfônica de South Bend como pianista solista convidado. 

Formou-se em duas universidades, de Harvard e Oxford. Na primeira estudou artes liberais (várias disciplinas de cursos diferentes). Recebeu o diploma de bacharelado em história e literatura.

Em Oxford, Pette recebeu diploma em filosofia, política e economia. Terminou a fase de estudos em 2007. 

Nessa época, Buttigieg também já trabalhava. Ingressou na McKinsey & Company, uma empresa de consultoria empresarial. Ficou na M&C até 2010. 

No mesmo ano, partiu para a política. Concorreu ao cargo de tesoureiro do estado de Indiana. Buttigieg perdeu para o republicano Richard Mourdock, mas teve 37,5% dos votos. A cartada seguinte foi disputar a prefeitura da cidade natal. E Pette ganhou em novembro de 2011, com 74% dos votos. A posse aconteceu em janeiro de 2012. O democrata assumiu o cargo com apenas 29 anos, sendo o mais jovem prefeito de uma cidade americana com 100 mil moradores.

Mas um fato curioso aconteceu durante o primeiro  mandato do chefe do executivo de South Bend. Buttigieg era comissionado como oficial de inteligência naval na Reserva da Marinha Americana, e em fevereiro de 2014 ele foi convocado para servir no Afeganistão. Durante sete meses a prefeitura ficou sob o comando do vice-prefeito e corregedor da cidade, Mark Neal. 

Pette retornou no dia 23 de setembro como tenente da Reserva Naval. Em outubro reassumiu o cargo na prefeitura. Um ano depois, em novembro de 2015, foi reeleito para o seu segundo mandato em South Bend, com mais de 80% dos votos, derrotando o republicano Kelly Jones. Começava a surgir um novo fenômeno na política dos Estados Unidos.

Durante seus dois governos, Buttigieg implementou programas arrojados de desenvolvido da cidade, como o "Iniciativa de Propriedades Vagas e Abandonadas". O projeto visa recuperar ou demolir edificações envelhecidas.

Outra aposta de desenvolvimento urbano foi o "Smart Streets". Depois de estudar a área central do município e de audiências com a população, a equipe de Buttigieg propôs a conversão de vias de mão única para mão e contramão. O pacote de reformas tem ainda medidas de moderação de tráfico, alargamento de calçadas, paisagismo de ruas, novas ciclovias e a introdução de rotatórias. 

O projeto que tinha como objetivo melhorar o desenvolvimento econômico, a segurança das estradas e a vivacidade urbana da cidade foi realizado com o financiamento de impostos. 

A criação de uma área de lazer noturna ao longo da margem do rio St. Joseph, no centro de South Bend, também mereceu elogios. O projeto custou U$700 mil. Os recursos foram conseguidos com fundos privados. A iluminação da orla fez parte das comemorações de 150 anos da cidade.

Ainda na gestão de Buttigieg, South Bend investiu mais de U$50 milhões em obras, muitas em parques da cidade que estavam abandonados há décadas.

O reconhecimento ao desempenho de Buttigieg logo apareceu. O veterano de guerra do Afeganistão foi escolhido pelo site GovFresh.com como o prefeito do ano em 2017, junto com Michael Bloomberg, de New York. O prêmio veio confirmar as antigas expectativas que já existiam sobre ele. O The Washington Post tinha dito três anos antes que Buttigieg era "o prefeito mais interessante que você já ouviu falar". A afirmação do jornal era baseada na juventude, educação e experiência militar do político. 

Buttigieg foi nomeado também um "Rodel Fellow" pelo Instituto Asper. O título é dado a quem visa "buscar identificar e juntar os mais promissores jovens líderes políticos da nação". Ele recebeu ainda o Prêmio New Frontier, que "homenageia jovens americanos que estão mudando suas comunidades". 

Apesar de ter exercido apenas um cargo público e liderado uma comunidade de cerca de 100 mil pessoas, o reconhecimento e a popularidade do nome Buttigieg aumentam a cada dia. "Eu estaria mentindo se não admitisse que estamos um pouco surpresos com a velocidade dessa trajetória", disse o prefeito.

Buttigieg é ainda membro da Igreja Episcopal dos Estados Unidos. Ele frequenta os cultos da Catedral de St. James, em South Bend.

 

O casamento com o professor

 

Já faz tempo que Peter Paul Montgomery Buttigieg assumiu publicamente que era gay. Em um artigo publicado em 2015 no jornal da cidade, o South Bend Tribune, ele se declarou homossexual, sendo o primeiro prefeito no estado de Indiana a fazer esse tipo de revelação. E não parou por aí. 

Em dezembro de 2017, Pette anunciou que estava ficando noivo do professor de ensino médio Chasten Glezman. Os dois eram namorados há dois anos. O casamento deles aconteceu no dia 16 de julho de 2018, em uma cerimônia na Catedral de St. James, no centro da cidade. 

O casal mora próximo à residência onde Buttigieg cresceu. Eles têm dois cães resgatados, Truman e Buddy, que fazem parte da família. Quando é perguntado se sofre discriminação por sua opção sexual, o candidato à presidência costuma responder assim: "O que todo gay tem em comum com cada pessoa excluída é saber como é ver um muro entre você e o resto do mundo e imaginar como é do outro lado".

 

Estados Unidos pode ter o primeiro presidente gay na próxima eleição

 

Rumo à Casa Branca

 

Em dezembro de 2018, Buttigieg anunciou que não pretendia concorrer a um terceiro mandado como prefeito de South Bend. As intenções do político eram bem maiores. No mês passado, no dia 14 de abril, Pette lançou a pré-candidatura dele para ser nomeado o representante democrata na eleição presidencial dos Estados Unidos em 2020.

Não vai ser nada fácil ser o escolhido. Buttigieg terá que concorrer nas primárias com mais 21 pretendentes. Alguns nomes são bem mais fortes dentro do partido, como Joe Biden, ex-vice do presidente Barack Obama. 

Se passar pelas primárias, nem em Indiana Pette terá facilidade na corrida presidencial. O estado é considerado um coração republicano. Na eleição de 2016, Donald Trump venceu com os votos de uma população insatisfeita com os Democratas. 

Mesmo sem saber se vai cruzar a mesma esquina com o atual presidente, o prefeito não esconde que as diferenças com Donald são grandes. Pette é um crítico da possibilidade dos Estados Unidos de erguer um muro na fronteira com o México para impedir a entrada de imigrantes. Para o pré-candidato, Trump "domina a prática da política da forma mais divisiva, que é a política de identidade branca, destinada a separar as pessoas com interesses comuns".

Buttigieg prossegue com as críticas. "O que me preocupa não é o muro de fantasia do presidente na fronteira mexicana, que não será construído de qualquer maneira. O que me preocupa são as paredes muito reais que estamos colocando entre nós quando estamos divididos e divididos”.

No dia 3 de novembro de 2020, os americanos vão às urnas para a 59ª eleição presidencial. Se Pette Buttigieg chegar até lá ele pode se tornar o primeiro presidente gay do país, e também o mais jovem com apenas 38 anos. 

"Reconheço a audácia de fazer isso sendo um jovem prefeito do Meio-Oeste. As forças de mudança em nosso país hoje são tectônicas. Forças que ajudam a explicar o que tornou a Presidência atual possível. É por isso que, desta vez, não se trata apenas de ganhar uma eleição, e sim, de ganhar uma era", ressaltou. "É hora de nos afastarmos dos políticos do passado e nos aproximarmos de algo totalmente diferente", exaltou.

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Estados Unidos pode ter o primeiro presidente gay na próxima eleição

Enviando Comentário Fechar :/