Isso que é família barra pesada
Filho de Beira-Mar sequestra o cunhado e pede resgate de 150 mil

Fernandinho Beira-Mar dispensa apresentação. Só para seu conhecimento, o traficante mais famoso do Brasil está preso atualmente em uma unidade federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. As condenações dele ultrapassam a três séculos.

Já se vão 18 anos de encarceramento do bandido. Mesmo isolado, ele sempre dá um jeitinho para que suas ordens cheguem aos parceiros do Comando Vermelho.

Mas desta vez, tudo indica que Fernandinho não é o mentor do crime. Quem teria organizado o sequestro seria um enteado de Beira-Mar, de nome David Rodrigo Lira da Costa, de 33 anos.

Com a ajuda de um policial militar e de outros dois ex-PM's, David escolheu como vítima o marido da própria irmã. Na noite de quinta-feira (13/06) o trio conseguiu raptar o alvo. A ideia era pedir um resgate de 150 mil reais. Porque o crime deu errado ainda não está muito claro.

O bando foi preso quando estava com o carro parado no acostamento da Avenida Brasil, na entrada da Ilha do Governador. Os comparsas de David foram detidos do lado de fora do veículo. O filho de Beira-Mar, e o cunhado sequestrado, estavam no interior do automóvel.

Segundo o boletim de ocorrência, os policiais militares são Rafael Lara Ferreira, da Unidade de Polícia Pacificadora do Jacarezinho, e Djair de Araújo Silva e Jozenildo da Silva Emiliano, que já tinham sido expulsos da Corporação.

Quem fez a prisão do grupo foi uma equipe da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos. Os criminosos foram autuados em flagrante sob suspeita de extorsão mediante sequestro, formação de quadrilha armada e porte ilegal de arma.

O delegado Marcus Amin explicou que a intenção inicial de David era sequestrar a própria irmã. "No curso de uma investigação descobrimos o sequestro em andamento. O alvo, de início, era a irmã dele, mas não conseguiram sequestrá-la. O motivo foi extorsão. Pediam R$ 150 mil para liberar o cunhado", falou o delgado.

Com a quadrilha foram encontrados, ainda, um simulacro de fuzil e uma pistola.

 

Não foi a primeira prisão

 

David já era um conhecido das autoridades. O filho de Fernandinho Beira-Mar tem, pelo menos, mais duas passagens pela polícia. Em junho de 2008, ele foi detido durante uma operação da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas no Parque Beira-Mar. Vale lembrar que a favela é um reduto controlado pelo pai, em Duque de Caxias.

Um ano antes, em uma blitz da Polícia Rodoviária Federal na rodovia BR-040, agentes da PRF deram ordem de parada ao veículo de David. Ele e o grupo carregavam munição de uso exclusivo das Forças Armadas.

David é filho da primeira mulher de Beira-Mar, que se chama Elizete da Silva Lira, outra fichada na Polícia. Elizete foi presa em 2001 na Colômbia. Ela tinha uma condenação por associação ao tráfico de drogas pela Justiça brasileira.

Outra mulher de Beira-Mar que foi parar em cana é Jacqueline da Costa. A sogra dele, Edite de Moraes, a irmã Alessandra da Costa, e mais três filhos também já foram presos.

 

Um filho assassino

 

Quem se surpreende com a notícia do filho de Beira-Mar que queria sequestrar a própria irmã, talvez não saiba que outro rebento do traficante é acusado de crimes ainda mais horripilantes.

No dia 1° de janeiro de 2019, nas primeiras horas do ano novo, um homem saiu pelas ruas de Duque de Caxias matando pessoas a esmo. Antes, Marcelo Fernando de Sá Costa, roubou um Fiat Idea. O carro era dirigido pelo vigilante Geovanne Pereira do Vale.

Na Avenida Presidente Kennedy, Marcelo fez um sinal para que o motorista do carro parasse. Geovanne achou que se tratava de um pedido de ajuda. Mas ao ver uma arma apontada na sua direção, ele teve que entregar o Fiat Idea.

Menos de um quilômetro depois, no bairro Vila Rosário, Costa parou o carro e atirou sete vezes contra Diogo Luiz Carvalho de Lima, de 25 anos. O rapaz ainda comemorava o Réveillon e morreu no local.

Marcelo seguiu mais um pouco e encontrou, à frente, Wesley Oliveira da Silva, de 24 anos. O homem estava sentando na calçada, quase em frente da casa em que morava. Costa efetuou mais dois disparos fazendo nova vítima fatal.

Em seguida, ele se dirigiu até a Estrada Barão do Amapá. Nove quilômetros depois, Marcelo se deparou com um motorista que manobrava um carro. Wallace Manoel Simões Rangel, de 38 anos, a esposa e o filho de 10 anos seguiam para a casa da sogra do empresário. Marcelo encostou ao lado e atirou pelo menos quatro vezes contra o carro da família.

Manoel morreu horas depois em um hospital.

A última parada foi 20 quilômetros adiante na Avenida Automóvel Clube. Costa perdeu o controle do Fiat Idea e bateu em uma mureta de proteção. Quando a polícia chegou ao local encontrou um homem embriagado. Os agentes suspeitaram também que o motorista aparentava ter consumido drogas.

A segunda constatação foi a de que o carro batido era procurado por roubo. Em uma revista mais detalhada, os policiais encontraram cartuchos de munição deflagrados e uma pistola dentro de uma mochila.

Ao passar a identificação do suspeito para a central, os PM's tomaram conhecimento que estavam frente a frente com um dos herdeiros de Fernandinho Beira-Mar.

Marcelo foi conduzido para uma delegacia. No caminho, ele repetiu várias vezes a mesma inútil ladainha: "Só estou sendo preso por ser filho dele".

Os investigadores da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense concluíram que a hipótese mais provável para o insano ataque à inocentes seria o desejo de Costa em mostrar poder. Quatro meses antes o pai dele havia perdido o controle da venda de drogas na comunidade.

"Foi um ato de descontrole para mostrar força, demonstrar que tem condições de retomar a região", afirmou o delegado Daniel Rosa.

Costa estava solto há pouco mais de um ano. Ele tinha sido preso em junho de 2017, acusado de tráfico internacional de drogas pela Justiça Federal do Rio de Janeiro.

Em outubro do mesmo ano, Marcelo Fernando de Sá Costa foi beneficiado com um habeas corpus expedido pelo Superior Tribunal de Justiça e ganhou o direito de recorrer em liberdade da condenação de 11 anos e sete meses de prisão. O ministro Nefi Cordeiro concedeu a liminar entendendo que a sentença "não demonstrou, com fatos concretos constantes do processo, a necessidade da prisão preventiva". As informações foram divulgadas no site do STJ.

Costa é o primeiro filho de Fernandinho Beira-Mar. Ao ser preso em janeiro, ele alegou que é produtor musical e sócio de uma produtora e de uma distribuidora de bebidas e alimentos.

A primeira vez que Marcelo foi apreendido, em 2008, ele tinha apenas 17 anos. Com um companheiro, eles pretendiam roubar carros.

As histórias sobre o envolvimento do primogênito de Beira-Mar no mundo do crime são várias. Homicídios, tráfico de drogas e roubos fazem parte de um extenso repertório de delitos cometidos por ele, apesar de Costa responder, até janeiro, apenas pelo processo do carregamento de cocaína.

 

Filho de Beira-Mar sequestra o cunhado e pede resgate de 150 milMarcelo - foto polícia divulgação


Uma família envolvida com o crime

 

Não são apenas os irmãos David Costa e Marcelo Costa que andam às voltas com problemas com a justiça. Em 2016 e 2017, ao investigar a quadrilha de Beira-Mar, a Polícia Federal de Rondônia concluiu que outros familiares de Fernandinho também estavam envolvidos em um engenhoso esquema de comunicação do traficante usando bilhetinhos.

Os filhos Luan Medeiros da Costa e Felipe Alexandre da Costa ajudavam a levar ordens do pai para manter os negócios de tráfico de drogas e armas, mesmo com Beira-Mar detido no presídio de Porto Velho.

 

*a foto da capa é do traficante Fernandinho Beira-Mar. 

 

 

 

 

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Filho de Beira-Mar sequestra o cunhado e pede resgate de 150 mil

Já temos 1 comentário(s). DEIXE O SEU :)
Silvio Gomes

Silvio Gomes

Que genética! Vão ter de construir um presídio só pra família.
★★★★★DIA 20.06.19 10h15RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Enviando Comentário Fechar :/