Hamza bin Laden era considerado uma grande ameaça terrorista. A recompensa para quem desse informação sobre ele estava em US$ 1 milhão
Filho de Bin Laden, que prometeu vingar a morte do pai, foi morto pelos EUA

A confirmação da notícia que o mundo aguardava desde julho aconteceu nesse sábado. Quem fez o comunicado oficial foi o presidente americano Donald Trump.

A nota diz que "a perda de Hamza bin Ladin não apenas priva a Al-Qaeda de importantes habilidades de liderança e a conexão simbólica com seu pai, mas prejudica importantes atividades operacionais do grupo".

Para os Estados Unidos, a morte do filho de Osama foi uma importante vitória para um país que vive assombrado quando se fala do sobrenome Bin Laden. Hamza vivia divulgando propaganda contra os países ocidentais e, principalmente, vingança pela morte do pai dele.

Há pouco mais de um mês, as emissoras NBC e CNN, sem revelar as fontes, chegaram a divulgar que Hamza tinha sido abatido em uma operação especial. O governo de Trump ficou em silêncio. Só agora o presidente deu mais detalhes, mas sem dizer a data certa em que ocorreu o fato.

O comunicado explica apenas que o mais temido Bin Laden da atualidade foi morto em uma "operação de contraterrorismo realizada pelos Estados Unidos na região do Afeganistão/Paquistão".

 

Quem era a nova ameaça da família

 

Apontado como sucessor de seu pai na rede terrorista Al-Qaeda, acredita-se que Hamza tinha cerca de 30 anos. Ele era filho de Osama com uma de suas três mulheres, conhecida como Khairiah Sabar.

Segundo o The Guardian, Hamza era o décimo quinto filho dos vinte do terrorista mais famoso da história. O rapaz se casou com uma filha de Mohammed Atta, um dos pilotos suicidas dos aviões que se chocaram contra as Torre Gêmeas de Nova York em 11 de setembro de 2001.

Durante os últimos anos de vida de Osama, Hamza sempre esteve ao lado do pai. No dia do ataque ao World Trade Center e ao Pentágono, a dupla acompanhou os acontecimentos lado a lado no Afeganistão.

Após os sangrentos atos terroristas, que resultaram na morte de quase três mil pessoas, os americanos invadiram o Afeganistão na caça a Osama. Pai e filho correram e se esconderam no Paquistão com mais integrantes da liderança sênior da Al-Qaeda.

Osama acabou localizado e morto por 79 integrantes de uma tarefa especial da Marinha dos Estados Unidos no dia 2 de maio de 2011. A operação que foi denominada Lança de Neptuno encontrou o terrorista escondido em uma casa na cidade de Abbottabad.

O corpo de Bin Laden foi jogado ao mar no dia seguinte, após ser feito o reconhecimento. O ritual obedeceu a rituais da fé islâmica.

Hamza prometeu se vingar. Em 2017, o Departamento de Estado dos EUA definiu o filho de Osama como um terrorista global, depois que ele pediu atos de teor nas capitais ocidentais. Ainda de acordo com as autoridades americanas, Bin Laden passou anos preparando Hamza para assumir a liderança da Al-Qaeda.

Para ajudar a encontrar o terrorista, o governo ofereceu uma recompensa de US$ 1 milhão por informações sobre o paradeiro dele. O novo Bin Laden passou a ser classificado como "dirigente em ascensão no grupo extremista".

A teoria dos americanos está respaldada em cartas encontradas em 2015. Os papéis mostram a vontade de Osama Bin Laden que Hamza tivesse êxito à frente da Jihad global antiocidental. É daí que veio o codinome de "príncipe-herdeiro da Jihad".

Atualmente a Al-Qaeda é liderada pelo egípcio Ayman al-Zawahiri. 

 

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Filho de Bin Laden, que prometeu vingar a morte do pai, foi morto pelos EUA

Enviando Comentário Fechar :/