Programas saindo do ar, jornalistas deixando à emissora e corte de salários são alguns reflexos de que os tempos não andam nada promissores na emissora
Globo vive seu pior momento

O ano começou com duas bombas. Primeiro foi o anúncio da aposentadoria do jornalista Alexandre Garcia. Agora, o fim do Vídeo Show. No final do ano, a emissora já havia convocado vários profissionais para renegociar os salários. Outros não tiveram essa chance e acabaram saindo da empresa. Mas, afinal, o que está acontecendo com o maior grupo de Comunicação do país? 

Não existe um único motivo para explicar a montanha russa da emissora. Na verdade, esse processo começou há tempos, talvez há mais de uma década. 

O modelo TV aberta, sem assinatura, é uma exceção no Brasil. Nenhum país tem tantas emissoras produzindo conteúdo de boa qualidade e sem cobrar nada do telespectador. 

Não é só a Globo que se encaixa nesse perfil. Record, SBT/Alterosa, Band e RedeTV criam diversas atrações que contemplam a todo gosto. 

Nosso cardápio vai de novelas, seriados, humorísticos, telejornais, filmes, talk show, programas de auditório, musicais, esportes e até religiosos. Passa de uma dúzia. Tudo de graça. 

Quem sempre bancou os altos custos das produções foram os patrocinadores e a venda de alguns produtos para televisões do exterior. Com a crise econômica que se abateu sobre o país de 2008 para cá, as verbas publicitárias foram ficando cada vez mais minguadas. 

O minuto nobre na grade da tv, nos horários de maior audiência, foram pouco a pouco sendo enquadrados em uma tabela menor. Ao mesmo tempo, o advento da internet, com uma multiplicação de novas plataformas e de canais a cabo, fez boa parte da audiência migrar aos poucos para as opções que surgiam. 

O que passamos a ver foi uma queda nos anúncios, ao mesmo tempo em que o público foi se tornando menor. Claro que isso não aconteceu da noite para o dia. 

Estamos falando de um processo que vem ganhando corpo há anos. 

Para tentar recuperar terreno, as emissoras têm buscado agradar a todo tipo de público. Qualquer nicho interessa nessa guerra para engordar os números do Ibope. Mas a estratégia não está dando certo por vários motivos e é isso que vamos tentar entender daqui para frente.  


Público fiel a Globo 

 

A Rede Globo se consolidou como a maior emissora do Brasil graças a um ótimo padrão de programação e a um público fiel. Atenção que fidelidade não é sinônimo de satisfação. 

Assim, a emissora caminhou por décadas, suportando com maestria o surgimento de concorrentes, e se mantendo sempre na liderança junto ao público. Esporadicamente um programa ou outro balançava diante de uma atração criada por uma concorrente, mas nada que abalasse o império dos Marinhos. 

Só que o mundo começou a mudar e chegou a tal internet. Os visionários entenderam logo que se tratava de uma revolução, mesmo que seu apogeu fosse demorar um pouco. A Globo, não. Ela continuou apostando na própria sobrevivência por muitas décadas. 

O que ela talvez não esperasse é que as novas mídias digitais fossem entrar em cheio na cabeça dos jovens.  


Um novo mundo 

 

As mídias criadas no século XXI contaminaram rapidamente uma expressiva parte do público jovem. A cada nova geração, mais e mais gente consome tudo de novo que é lançado. 

Ao mesmo tempo, a Globo se enveredou na tentativa de agradar públicos que não se enxergavam nos produtos da emissora. Os evangélicos são um bom exemplo. 

Durante muitos anos, Globo e Record andaram em pé de guerra depois que o bispo Edir Macedo comprou a emissora paulista. Assistir uma reportagem religiosa mostrando um culto que não fosse da igreja católica era quase impossível. Isso só mudou de uns três anos para cá, quando a audiência da Globo já não era a mesma. 

O mesmo vale para a discussão sobre ideologia de gênero e a presença de homossexuais na programação. Hoje, quase toda novela ou mini série aborda o assunto com personagens marcantes. 

Mas enquanto tenta trazer para dentro do seu guarda chuva um público que antes não tinha nenhum espaço, ou era discriminado, a Globo também passou a desagradar a uma boa parte de seus antigos fiéis telespectadores mais conservadores. 

Nesse ponto a emissora ficou diante de uma encruzilhada. Como ignorar uma fatia tão importante da sociedade que clamava por espaço? Como produzir também conteúdo com apelos sexuais e não afugentar seu público cativo? 

Simultaneamente, a nova safra de apresentadores e a linguagem bem informal causaram um choque. Hoje todos os telejornais são tratados por apelidos, como Jota agá (JH). Os apresentadores só se chamam por diminutivos, muitas vezes citando duas sílabas do nome. Ternos foram abolidos do figurino dos repórteres e na bancada dos telejornais a informalidade virou item obrigatório. 

A intenção é, claro, tentar aproximar a emissora o máximo possível do público, quebrando antigas formalidades. 

Relaxou até demais. As redações, simultaneamente, parecem a viver uma crise na qualidade e precisão das notícias. Já reparou quantas vezes na semana o Willian Bonner pede desculpas por algum erro de informação? E olha que estamos falando do telejornal de maior audiência no Brasil e onde trabalham os jornalistas selecionados a dedo pela direção. 

Outro equívoco está na postura de comentaristas que defendem, mesmo de forma discreta, as suas convicções políticas ao analisar assuntos. 

Vivemos hoje em uma sociedade que tem um alto grau de informação e convicções formadas. Ao ouvir analistas, o público espera explicação, prováveis desdobramentos e desenrolar dos fatos, mas sem nenhum interesse na preferência política ou ideológica dos comentaristas. 

É por isso que tantos são criticados sem dó nas redes sociais. É urgente que se entenda a necessidade de uma revisão no formato dessas análises. Que os opinadores percebam que o público não busca conhecer a visão pessoal deles com tendência ou influência partidária, mas, sim, uma análise imparcial dos temas. 

 
A repetição de histórias e dramas 

 

A teledramaturgia brasileira já foi propagada diversas vezes como a melhor do mundo. As telenovelas produzidas aqui são comercializadas no mundo todo. Não há como negar que o Brasil e, em especial, a TV Globo são uma referência. Mas até o consagrado produto da emissora não goza mais do mesmo alto índice de audiência de tempos atrás. 

Vira e mexe alguma novela ainda arrasta um bom público para a frente da TV, como Avenida Brasil e Segundo Sol. As demais lutam a duras penas para preservar o público que já tiveram no mesmo horário.

Um dos motivos está na falta de inspiração dos autores e na repetição de formatos que deram certo em outros folhetins. A figura de megeras parece personagem obrigatório em todas as tramas. O sofrimento que cerca os galãs e as mocinhas também se arrasta até o último capítulo. 

A inspiração tem passado longe das cabeças de quem escreve os textos. A consequência a médio prazo vai ser o desaparecimento desse modelo. 

O público jovem, que domina cada vez mais o potencial de telespectador, é ávido por outro tipo de produção. A começar pelo número de capítulos. Eles estão muito mais para temporadas ou mini series do que para intermináveis novelas. 

Isso sem falar na sede de novidades. O mundo consumista, que todo dia espera algo novo para nos oferecer, não tolera ver antigos artistas sempre fazendo novelas e mais novelas. 

A consequência é a debandada de atrizes famosas que a Globo dispensou recentemente, como Malu Mader, Maitê Proença, Carolina Ferraz e Giulia Gam. 

Enquanto isso, novas plataformas de streaming como Netflix e Amazon têm cada vez mais assinantes, provocando uma fuga em massa dos antigos canais abertos. 

Se não bastasse a procura por novas opções fora da TV aberta, uma fatia do público que ainda se manteve presa a essa escolha (muitas vezes por questões econômicas), virou a chavinha e foi acompanhar programas de emissoras concorrentes.

Em praças como São Paulo, hoje a Globo perde na audiência em vários horários, o que tem levado a emissora a acreditar na necessidade de uma guinada radical, mudando substancialmente a programação de 2019. Mas até nas mudanças a empresa se mostra confusa. O esperado programa matinal com Fernanda Gentil, ex-apresentadora do Esporte Espetacular, não passou de pilotos. O projeto está adiado (ou abandonado), sem nenhuma justificativa para o público. 


Cortes severos no esporte 

 

Outra audiência considerável da Globo sempre foi dos eventos esportivos que transmitia. Mas devido à concorrência de poderosos grupos internacionais, que entraram na disputa por alguns produtos, a emissora sofreu perdas consideráveis. 

O direito de transmissão da Champions League é um deles. Na Copa Libertadores, por causa da Fox, a Globo tem limitação no número de partidas que pode exibir. 

Em 2019, por pressão a emissora vai mudar o horário dos jogos ao vivo nas quartas-feiras, que passarão para às 21h30, provocando um achatamento na grade da emissora. 

Alguns campeonatos estaduais tiveram sequer jogos transmitidos no meio de semana durante a primeira fase. O motivo seria o corte nos gastos. Aliás, outro problema que afetou em cheio a emissora. 

Recentemente, a direção chamou vários integrantes da primeira linha de transmissão para reduzir seus contratos. Galvão Bueno e Cléber Machado foram os mais afetados. Outros com menos prestígio acabaram dispensados, como os comentaristas Paulo César Vasconcelos e Lito Cavalcante, do canal por assinatura Sportv. 

Audiência e publicidade já não gozam mais da fartura de antes. No ano passado as placas na beira do campo no Campeonato Brasileiro tinham vários espaços ociosos. Se você se recordar, vai lembrar que algumas foram ocupadas com divulgações do programa Conversa com Bial e os Cavalinhos do Fantástico. 

Antes, essas placas eram negociadas por valores estupendos. Até a Fórmula 1, antiga menina dos olhos do Grupo Globo, entrou em baixa, e que baixa. Na última temporada muitas provas deixaram de ser transmitidas ao vivo no canal aberto, inclusive o GP do México, quando Lewis Hamilton ganhou o título. 

A todo esse drama se soma o corte de verbas de publicidade do governo federal, que parou de despejar caminhões de dinheiro na programação das televisões. Enquanto tenta se adaptar aos novos tempos, tirando do ar programas antigos, remanejando profissionais, trocando produtos na grade e querendo agradar a todos os públicos, a Globo sabe internamente que está prestes a viver um ano muito difícil. 

A colheita vem em cima das escolhas do que se planta. Resta saber o que o grupo semeou para tirar da horta em 2019.

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Globo vive seu pior momento

Já temos 51 comentário(s). DEIXE O SEU :)
ande anselmo

ande anselmo

Ola venho parabenizar vocês por essa publicação sou proprietário de uma Dedetizadora em são paulo. e so tenho a agradecer vocês pelos serviços e informações prestadas sucesso!
★★★★★DIA 03.12.19 17h47RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
elton gregorio

elton gregorio

É simples, mataram a família brasileira, passaram a prestigiar homossexualismo, novelas com casais gays, incentivo a sexualidade infantil (quase todos os programas tem).
em fim, pensaram que chegaram ao status de direcionar por completa a sociedade.
Esqueceram que somos sim um povo com princípios morais e não não amorais.
A época que a Globo dominava, foi novelas estilo Rock Santeiro, Selva de Pedra. Novelas que mesmo tendo imoralidades ainda assim privilegiava mais a família, nesta época não havia homossexualismo explícito e nem cenas de sexos explícitos.
Depois foram aos poucos corrompendo-se, as famílias começaram a perceber que novelas traziam enredo em que Pais e filhos se matavam, irmão e irmão traiam-se entre si, a veadagem escancarada, etc...
Por fim, quando o público percebeu que destruíram a sociedade, começou a se afastar (foi o meu caso que nem ligo mais a tv globo e quando alguém chega lá em casa e quer assistir novela, não consigo ficar na sala).
além disso, nos últimos tempos demostraram-se unicamente com interesses particulares no campo político, fizeram de tudo para derrubar o atual presidente (sendo que mulheres e homens que sua história mostra pouco valor moral, começaram a gravar áudio visual com o conhecido "Ele Não" pensando que ainda dominam por completo a imbecilidade do povo brasileiro. Deu ruim, a feitiço virou contra o feiticeiro. Porque somos sim uma sociedade com valores morais, mesmo que estes valores passaram boa parte do tempo sobre cinzas , mas a brasa nunca apagou e agora incendiou a fogueira.
A Globo, não volta mais,
A globo fez tudo errado, se achou no poder absoluto e agora vai cair. Vai cair porque somos sim uma sociedade com valores morais, por mais que tentaram destruí-lo , ele voltou com força.
★★★★★DIA 31.10.19 15h04RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Ramon Drumond

Ramon Drumond

Bom dia. Concordo com as colocações. Gostaria de acrescentar que o formato das longas e repetitivas novelas já deveria ter sido revisto há pelo menos uma década. Outro erro grosseiro que a emissora comete é o posicionamento crítico e muitas vezes ácido contra o governo federal. Penso que as vezes eles se esquecem que exploram uma concessão e que essa pode ser revista, principalmente pelos desvios de finalidade. Um abraço.
★★★★★DIA 04.04.19 13h34RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
José Braga

José Braga

Toda opinião é rechaçada na hora
A 10 anos não vejo tv. O rádio e infinitamente melhor.
★★★★★DIA 29.03.19 20h34RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Lau Filgr

Lau Filgr

interessante, comento e vc Guilherme dá a réplica, bem, acho que a rede Globo agora enfrenta a concorrência INTERNET, todos os produtos, desde Youtube, redes sociais, aplicativos diversos, é polêmico quando ela põe personagens gays, trans, bissexuais, alguns conservadores não gostam, mas, as minorias requerem eles, a Record prioriza novelas biblícas, tem os que não gostam, enfim, a audiência vem caindo, fato, parece me a concorrência entre televisão e rádio, prevaleceu mais a tv, bem, ninguém tem bola de cristal para prever o que vai acontecer, só o tempo!!!!!!!!!!!
★★★★★DIA 30.01.19 19h12RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Lau, bacana a gente debater. Por isso gosto de dizer que ter opinião não é ser dono da verdade. É apenas a nossa forma de pensar. A diversidade de canais e de programação tem a vantagem de contemplar a todos, ou quase todos. Venha sempre nos visitar. Abraço.

★★★★★DIA 30.01.19 21h10RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
João Azevedo

João Azevedo

Xô rede esgoto...# LULA LIVRE
★★★★★DIA 11.01.19 11h53RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

É incrível como o mundo ainda tem algumas tradições que beiram a idade média. Obrigado pela visita, João. 

★★★★★DIA 11.01.19 15h13RESPONDER
Mara Silva
Enviando Comentário Fechar :/
Mara Silva

Mara Silva

Xó esquerdista podre. Lula preso e vai continuar BABACA MORTADELA
★★★★★DIA 16.01.19 21h25RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Cada qual com seus problemas. Abraço 

★★★★★DIA 16.01.19 21h49RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Thiago mansur

Thiago mansur

Problema que antigamente ela passava conteudo para familia e hoje em dia só para homossexuais . Nao é que eu seja homofobico ,mas ela escolheu esse publico e como existe muito mais familia hetero no Brasil e eu fazendo parte , descidi que aqui em casa fosse banido essa emissora desde 2016. Se me perguntar qual novela passa na globo eu nao sei . Tempos bons da novela quatro por quatro em que estava o pessoal na rua e quando começava a novela todo mundo ia pra suas casas vê
★☆☆☆☆DIA 11.01.19 10h13RESPONDER
Mara Silva, Guilherme Mendes
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Thiago, bom dia! A gente não pode deixar de levar em consideração que o mundo vive um grande período de transformação. Um canal aberto, que abrange um país do nosso tamanho, que precisa contemplar a todos, vive um desafio que não e nada fácil. Não acho justo só atirar pedras na emissora. Considero, dentro de uma opinião simples, que alguns conceitos atuais deveriam ser revistos. Grande abraço. 

★★★★★DIA 11.01.19 10h17RESPONDER
Mara Silva
Enviando Comentário Fechar :/
Gi Arruda

Gi Arruda

Todos vendem um "produto". Empresas que estudam atentamente seu público, vivem mais. A Globo tem sido informada de forma intensa, por seu público mais conservador, que as atuais atrações não agradam. E me parece que somos maioria, já que dia a dia sofrem baixa na audiência enquanto outras emissoras a ultrapassam. Isso mostra que as novas plataformas (como internet, etc) não são o principal motivo. Além disso, a população começou a perceber a parcialidade e tentativa de manipulação (agora escancarados), e não gostou. Talvez dê tempo de reverter o caminho da morte anunciada . Ou não.
★★★★☆DIA 11.01.19 11h47RESPONDER
Mara Silva, Esther Mara
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Gil, o mundo é dinâmico e a Globo acompanha com muita atenção os movimentos de audiência e tendência. Correção de tragetórias é sempre possível. Abraço. 

★★★★★DIA 11.01.19 11h53RESPONDER
Mara Silva
Enviando Comentário Fechar :/
Mara Silva

Mara Silva

A Globo tem a audiência que merece, para o público que ela escolheu , então ela não pode reclamar.Eu adorava a Rede GLOBO mas depois que ela passou a falar dos mesmos temas do Hora Um ao corujão, deixei de assistir justamente por não gostar dos temas abordados.Assinei a Net escolho a dedos o que vou assistir e vivo muito feliz com minha escolha, deixei de ver a rede globo desde 2012 e não pretendo voltar nem o JN que eu adorava por causa do Bonner eu vejo mais. Novos tempos e novas escolhas VIVA A NET AMOOOOOOOOO
★★★★★DIA 16.01.19 21h31RESPONDER
Esther Mara
Enviando Comentário Fechar :/
Mara Silva

Mara Silva

Se ela continuar fazendo programa apenas para um parcela da população,vai continuara tendo a audiência apenas dessa parcela.
★★★★★DIA 16.01.19 21h34RESPONDER
Esther Mara
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Que bom que hoje temos várias opções. Não somos mais reféns de nada. Abraço 

★★★★★DIA 16.01.19 21h53RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Sérgio Rosa

Sérgio Rosa

Guilherme, se você observar sem parcialidade vai perceber que a Globo atira pedras para todo lado, principalmente na família.
★★★★★DIA 12.03.19 21h59RESPONDER
Esther Mara
Enviando Comentário Fechar :/
Divina Lopes Medeiros

Divina Lopes Medeiros

Agradar gregos e troianos é difícil....mas a Globo ficou muito a desejar desde a movimentação dos caminhoneiros, ela passou notícias falsas...na política então.... só vergonha ..
★★★★★DIA 11.01.19 09h25RESPONDER
Mara Silva, Esther Mara
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Divina, julgar é fácil, difícil é administrar muitas situações em meio a crises e incêndios. Sinceramente, se um dia a Globo deixar de ser uma super potência será uma grande perda para o Brasil, apesar de todos os problemas que ela enfrenta. Grande abraço.

★★★★★DIA 11.01.19 10h07RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Lizene Kipper

Lizene Kipper

Em que emissora tu encontra uma profissional que participa ativamente de invasão de terras, de prédios, que é crime, participando de novelas, como se nada estivesse acontecendo?
A globo tem: leticia sabatela
É pouco?
★★★★★DIA 11.01.19 03h58RESPONDER
Edilberto Jorge da Silva Sílvio., Mara Silva, Guilherme Mendes, Esther Mara
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Lizane, a Rede Globo é um emissora que tem milhares de funcionários. Posso testemunhar que as regras internas são rígidas, mas as pessoas também tem seus direitos fora do ambiente de trabalho e sem patrulhamento. Enfim, cada qual com os seus problemas. Essa é uma discussão muito complexa. De qualquer forma, muito obrigado por visitar o nosso blog. Foi um prazer receber sua opinião. Volte sempre.

★★★★★DIA 11.01.19 09h26RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Mara Silva

Mara Silva

Sem contar outros artistas que descaradamente tentam manipular seus fãs , só que hoje eles não conseguem mais isso , o prestigio dessa turma Global está abaixo de zero.
★★★★★DIA 16.01.19 21h38RESPONDER
Esther Mara
Enviando Comentário Fechar :/
Ana Cruz

Ana Cruz

Guilherme,vc fica sempre em cima do muro ne?
★★★★★DIA 11.01.19 02h03RESPONDER
Mara Silva
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Ana, bom dia! O que você entende por ficar cima do muro é um conceito relativo. Eu gosto sempre de dizer que ter opinião não é ser dono da verdade. Ou seja, não considro a minha visão melhor do que a de ninguém, apenas a minha. Não tenho nenhuma pretensão que as pessoas aqui pensem que os textos são uma referência ou uma verdade absoliuta. Acho que falta isso a sociedade. A gente vive um período de muita imposição do que "eu penso". Mas venha sempre debater com a gente. Foi um prazer contar com a sua audiência. Abraço e um bom dia.

★★★★★DIA 11.01.19 10h13RESPONDER
Mara Silva
Enviando Comentário Fechar :/
Osvaldo Ribas

Osvaldo Ribas

Segundo a matéria as emissoras estão produzindo conteúdo de boa qualidade sem cobrar. Ah é piada. Imaginem se cobrassem por esta programação lixo de sábado e domingo, mais estas novelas baixarias, bbbs, fazendas, e outros realitys shows. TV ABERTA É LIXO. Lixo digital para que se veja a porcaria mais nítida. Ainda bem que existe tv de assinatura e a Netflix. Como dizia a música dos Titãs: A televisão me deixou burro muito burro, burro demais, agora estou nesta jaula junto com os animais. Nos anos 80 eles já notavam a burrice televisionada.
★★★★★DIA 11.01.19 01h36RESPONDER
Mara Silva, Esther Mara
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Osvaldo, bom dia! Quando eu falo que elas produzem produtos de boa qualidade não é uma generalização, assim como não creio ser justo dizer que todo o conteúdo é deplorável. Existem, sim, algumas produções muito boas, outras, nem tanto. No frigir dos ovos acho que o saldo ainda é positivo, mas que pode e deve melhorar. Grande abraço para você e uma ótima sexta-feira. 

★★★★★DIA 11.01.19 10h22RESPONDER
Mara Silva
Enviando Comentário Fechar :/
Patrícia Schmidt

Patrícia Schmidt

A grade doa anos 80, 90 foram as melhores em quase tudo. Atualmente a emissora quer impor uma programação promíscua que Cultiva a indecência e desvalorização da família pra nossa sociedade que continua conservadora. Mostrou a cara desesperada quando permitiu seus jornalistas mostrarem opinião política sem parcialidade. #jáfoitarde. #globlolixo.
★★★★★DIA 11.01.19 01h21RESPONDER
Mara Silva
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Patrícia, são novos tempos. Nem sempre melhores. Tudo na vida tem seu apogeu e seu declínio. Não dá para dizer que a Globo está em decadência, mas provavelmente, já vivemos dias melhores. Obrigado. Abraço 

★★★★★DIA 11.01.19 01h25RESPONDER
Mara Silva
Enviando Comentário Fechar :/
Márcia gradepell Obrigada

Márcia gradepell Obrigada

Bem, a globo se transformou em lixo e lixo deve ser jogado fora.
★★★★★DIA 10.01.19 23h07RESPONDER
Patrícia Schmidt, Mara Silva, Esther Mara
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

A Globo tem uma história sensacional que não pode ser desprezada. Grande abraço. 

★★★★★DIA 11.01.19 00h38RESPONDER
Mara Silva
Enviando Comentário Fechar :/
Welltton Siqueira

Welltton Siqueira

O fato é, a rede bobo mudou e mudou muito! Mas muito mesmo e pra pior!
Roberto Marinho deve estar entrigado no caixão ⚰! O fato é, ou você mantém o seu público alvo e propostas com altos níveis de diversidade também se adaptando e adequando as atualizações da humanidade ou perde espaço! Fatos!
★★★★★DIA 10.01.19 22h56RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Wellitton, temos que ter orgulho por termos vivido um período muito especial. Os jovens vão dizer que hoje é muito melhor. Mas as nossas lembranças são ouros que ninguém pode carregar. Grande abraço. 

★★★★★DIA 11.01.19 00h48RESPONDER
Divina Lopes Medeiros, Mara Silva
Enviando Comentário Fechar :/
Divina Lopes Medeiros

Divina Lopes Medeiros

Hj a tecnologia nos dá ampla busca de programas bem mais viável...
★★★★★DIA 11.01.19 09h19RESPONDER
Mara Silva
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Divina, você tocou em um ponto muito relevante. Com um controle remoto na mão temos uma centana de outras opções. E cada vez que fazemos uma escolha isso reflete na audiência, que é muito importante comercialmente para as emissoras. Abraço. 

★★★★★DIA 11.01.19 10h24RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
sinesio Vilaça

sinesio Vilaça

É muito difícil desvendar o segredo para alcançar o sucesso, mas a fórmula para o fracasso é certa: tentar agradar a todos os gostos, principalmente em um país de dimensões e culturas tão diversificadas como o Brasil. Vai longe a época quando a informação "precisa" era a do Jornal Nacional, com Cid Moreira e Sérgio Chapelin, e as novelas da Globo eram atrações noturnas em todos os lares brasileiros.
★★★★★DIA 10.01.19 22h05RESPONDER
Patrícia Schmidt, Divina Lopes Medeiros, Mara Silva, Esther Mara
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Eita! Vilaça, fomos longe agora. Muito bacana. O tempo corre, não é companheiro? Mas as boas lembranças são eternizadas. Muito obrigado pela visita. Venha sempre. Grande abraço. 

★★★★★DIA 11.01.19 00h45RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Mara Silva

Mara Silva

Ela deveria abordar certos temas na novela das 21 hs e na novelas das 18 e das 18 hs, colocar temas mais engraçados e leves direcionado para família conservadoras que até pouco tempo era seu maior publico, digo isso porque aqui em casa quem ainda assistia novelas era minha mãe , agora nem ela mais.
★★★★★DIA 16.01.19 21h57RESPONDER
Esther Mara
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

A tentativa de agradar aos mais diversificados públicos é uma tarefa impossível. Isso não existe. Esse é um erro que eles estão demorando a reconhecer. Abraço.

★★★★★DIA 16.01.19 22h42RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Eberson Lima

Eberson Lima

No quesito jornalismo político, faltou a emissora o que disse o artigo "a imparcialidade nas opiniões dos comentáristas..."
★★★★★DIA 10.01.19 21h35RESPONDER
Patrícia Schmidt, Mara Silva
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Eberson, o assunto é muito extenso. Dava para escrever um tratado. O bacana é provocar reflexão. Grande abraço. 

★★★★★DIA 11.01.19 00h43RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Antonio Silva

Antonio Silva

Pois é. Qdo o público pediu a saída do Galvão Bueno, por exemplo, não foi ouvido. Agora, só podemos lamentar.....
★★★★☆DIA 10.01.19 21h29RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Antônio,’todos os profissionais merecem respeito. Sempre tive isso como princípio. O Galvão tem uma história muito bacana. Hoje ele divide opiniões. Obrigado por visitar o blog. Abraço 

★★★★★DIA 11.01.19 00h42RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Gustavo Valadao

Gustavo Valadao

Será que a Globo está apelando tanto que agora está fazendo merchandise de cigarro (novela das 9 até a Lilian Cabral fumou)?
★★★★★DIA 10.01.19 16h50RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

O mundo tem levado a uma gangorra perigosa. É difícil ficar contra a tendência. Mas vamos em frente. Podemos ser seletivos sem ser carregados pela maioria. Abraço. 

★★★★★DIA 11.01.19 00h40RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Mauricio Santos

Mauricio Santos

Hoje o jornalismo da Globo é parcial e deixa as pessoas indignadas , principalmente nas eleições de 2018, foi uma vergonha, acho que o jornalista tem que se limitar à dar a noticia e ser imparcial.
Por isto a GLOBO vai pagar um preço muito caro por este erro.
★★★★★DIA 10.01.19 16h47RESPONDER
Divina Lopes Medeiros, Mara Silva, Esther Mara
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

O jornalismo é regido por direções. Mas tem uma escola sensacional. Grande abraço. 

★★★★★DIA 11.01.19 00h36RESPONDER
Mara Silva
Enviando Comentário Fechar :/
Mara Silva

Mara Silva

Principalmente aquela Leilaine e Miriam Leitão da Globo News e o Chico Psoleiro digo Pinheiro são vergonhosos.
★★★★★DIA 16.01.19 22h01RESPONDER
Esther Mara
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Mara, por uma questão de ética, prefiro não comentar nenhum nome. Grande abraço. 

★★★★★DIA 16.01.19 22h40RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Edson Mendes

Edson Mendes

Não dá mais em pleno seculo XXI, com tantas mudanças tecnologicas e a internet que está mudando tudo, continuar com seu modelo antigo de transmissão e de programas.
★★★★★DIA 10.01.19 12h50RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Edson, o mundo vive um período de muitas mudanças e de extrema velocidade. É preciso antecipar cenários e adotar estrategias rápidas. Mas também é certo que caminhamos para a pulverização. Jamais teremos  gigantescos monopólios de comunicação. A adversidade da audiência exige modelos e opções múltiplas. 

★★★★★DIA 10.01.19 15h57RESPONDER
Franklin Oliveira, Divina Lopes Medeiros
Enviando Comentário Fechar :/
Enviando Comentário Fechar :/