Se você acha que apenas Neymar anda enrolado com acusações de uma mulher, saiba que ele não é o único que agora vai ter que se explicar
Jogador acusado de assédio sexual é expulso da seleção do Egito

Amr Warda é um jogador de meio campo revelado no Sporting Alexandria. No currículo dele constam ainda passagens no Egito pelo Al Ahly SC, onde se profissionalizou, e no Al-Ittihad, da Arábia Saudita. Acabou comprado pelo PAOK, da Grécia, e depois de ser emprestado ao Feirense, de Portugal, atualmente está servindo ao também grego Atromitos, de Atenas. Tudo isso com apenas 25 anos de idade.

Mesmo trocando tanto de clube, Amr Warda tem sido convocado com frequência pela seleção nacional. Em 2017, fez parte do grupo que ficou em segundo lugar no Campeonato Africano das Nações. Ao todo, soma 20 jogos pelo selecionado.

A competição está sendo realizada novamente, agora, no Egito. Em casa, a equipe do craque Salah tem grande chance de conquistar o título. Até essa quarta-feira (26/06), Warda fazia parte do grupo de 23 inscritos pela Federação do país. No jogo de abertura do campeonato, ele tinha entrado nos 20 minutos finais, substituindo Abdalla El Said, na vitória contra o Zimbábue por 1 a 0.

Mas diante da repercussão das denúncias de assédio contra o jogador, a FEF decidiu retirar Warda da delegação. Em um comunicado, a Federação explicou os motivos: "Amr Warda foi excluído da seleção nacional após ter conversado com as instâncias técnicas e administrativas da equipe". Em outro trecho, os responsáveis pela seleção alegaram que a decisão foi tomada "para manter a concentração da equipe".

A medida partiu do presidente da Federação Egípcia de Futebol, Hani Abu Reda, que ressaltou a importância da "manutenção do estado de disciplina e comprometimento".

O que pesa contra Warda são as acusações que mulheres fizeram sobre o jogador. Ele teria usado redes sociais para incomodá-las e assediá-las. Seriam várias. Quem puxou a fila foi uma modelo britânica-egípcia, chamada Merhan Keller.

Inicialmente, Merhan contou em sua conta no Instagram que quatro jogadores da seleção a estavam assediando, e deu os nomes. Seriam Mahmoud Hamdy, Hassan Kouka, Ayman Ashraf e Amr Warda. A revelação foi feita no sábado, um dia após o jogo contra o Zimbábue.

De todos, o mais abusado era justamente Warda. Tudo começou com um comentário em uma foto da modelo usando luvas de lutadora. No início parecia apenas uma brincadeira."Boxe? haha", escreveu o jogador.

Como a modelo ignorou a mensagem, ele mandou uma nova dizendo que Keller provavelmente não sabia quem ele era porque ninguém "diz não" a Warda.

A conversa foi só engrossando. Na sequência, o jogador pediu o telefone da moça e afirmou que se ela não passasse ele conseguiria o número de qualquer jeito.

Não se sabe como, mas Warda cumpriu a promessa e passou a importunar Merhan agora com mensagens pelo WhatsApp. Irritada, a beldade contou toda a história no Instagram, citando os quatro jogadores. O relato dela foi assim:

"Um dos jogadores enviou-me uma mensagem e disse que sabia como conseguir o meu número de celular. Que eu não sei como ele é e que ele irá me provar que não é o tipo de homem a quem dizer não", escreveu.

Rapidamente surgiram outras mulheres afirmando que também foram assediadas por Warda de um jeito parecido. Elas mostraram comentários obscenos e agressivos que teriam sido feitos pelo atleta na internet quando era rejeitado.

As cantadas dele eram quase sempre iguais. Warda costumava dizer que estava no país das garotas escolhidas por apenas um dia.

Indignadas com a descoberta de diversos casos, as moças usaram o Twitter para pedir que a Federação do Egito tomasse uma providência.

A repercussão foi grande. Assustado com o que estava lendo, o intrépido jogador correu para deletar a conta dele no Instagram, que tinha mais de dois milhões de seguidores. Era tarde. O estrago estava feito.

Se não bastasse a esculhambação na rede social, Warda já carregava há alguns anos outra acusação seríssima. Em 2017, quando foi emprestado pelo PAOK ao Feirense de Portugal, a passagem dele pelo clube lusitano durou apenas três dias. No pouquíssimo tempo em que permaneceu por lá, o meio campista teria dado em cima das mulheres de dois dos novos companheiros.

O clube português mandou o recém contratado de volta para a Grécia e instaurou um processo disciplinar interno. O resultado das apurações sobre o escândalo foi mantido em sigilo. Warda se defende até hoje afirmando que foram "falsos testemunhos" e que é um homem "respeitoso".

"Aprendi que algumas pessoas não se importam em prejudicar outras com falsos testemunhos, desde que sirvam os seus interesses. Sempre fui um homem respeitoso. Como tal, não aceito que as pessoas tratem outras de forma desrespeitosa", afirmou na oportunidade.

Horas depois de ser excluído da seleção, o polêmico jogador divulgou um vídeo com vários pedidos de desculpas. "Peço desculpas pelo que fiz. Peço desculpas à minha família, peço desculpas aos [meus colegas] jogadores, peço desculpas à Federação Egípcia de Futebol e a qualquer um que esteja chateado comigo ou por alguém que eu tenha chateado. Eu sinto muito ", afirmou Warda na gravação.

Nas redes sociais, alguns torcedores saíram em defesa do ídolo, achando que são exageradas as denúncias contra ele, e que Keller estava querendo se tornar famosa com a exposição do caso.

O maior jogador do futebol egípcio, o craque do Liverpool, Mohamed Salah, foi às redes sociais e também condenou as atitudes do companheiro de seleção, mas acha que Warda merece uma nova chance. "As mulheres devem ser tratadas como o máximo respeito. 'Não' significa 'não'. Essas coisas são e devem permanecer sagradas. Eu também acredito que muitos que cometem erro podem melhorar e não devem ser enviados diretamente para a guilhotina, que é a maneira mais fácil de sair. Temos que dar uma segunda oportunidade… temos que os guiar e educar. A rejeição não é a resposta", escreveu Salah nas redes sociais.

 

Jogador acusado de assédio sexual é expulso da seleção do Egito A modelo Merhan Keller 

 

atualização da matéria na quinta-feira, dia 27/06, às 23 horas e 45 minutos 

Dois dias depois de anunciar o corte do jogador Amr Warda, a Federação Egípcia de Futebol reconsiderou sua posição e convocou novamente o atleta. O que teria mudado a posição da entidade foi um pedido dos companheiros de Warda. Assim, ele segue à disposição da comissão técnica para participar das partidas restantes do Campeonato Africano de Nações. 

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Jogador acusado de assédio sexual é expulso da seleção do Egito

Enviando Comentário Fechar :/