Depois de 57 anos sem conseguir ter filhos, mulher se submeteu a fertilização in vitro
Mulher de 74 anos dá à luz a gêmeos na Índia e caso vira uma polêmica médica

O senhor Yerramatti Raja Rao, um agricultor de 80 anos, e a esposa, dona Erramatti Mangayamma, de 74, se casaram em 1962. O casal já podia ter bisnetos, mas até a última quinta-feira eles sequer tinham experimentado a emoção da paternidade. Não foi por falta de vontade, mas a mulher nunca conseguiu engravidar.

Uma nova esperança surgiu quando uma vizinha de 55 anos fez com sucesso uma fertilização em laboratório. Foi aí que o casal se encheu de coragem e procurou uma médica especializada para saber se teria alguma chance.

A doutora Sanakkayala Umashankar passou a estudar o caso da septuagenária. No final do ano passado ela deu o sinal verde, e começou a trabalhar para conseguir o feito que parece um recorde pela idade da mãe.

Como a senhora Mangayamma já havia passado pela menopausa há 30 anos, os médicos precisaram obter óvulos de uma doadora para depois fertiliza-los com esperma do marido, segundo informou a agência de notícias ANI.

O procedimento deu certo. Durante nove meses a mulher ficou no hospital sendo assistida de perto. "Durante o tratamento, tivemos três grupos de médicos: um cuidou de sua saúde geral, um cuidou de seu estado nutricional e um cuidou de sua gravidez". Essas três áreas eram monitoradas todos os dias, detalhou Umashankar.

A cesariana foi realizada por uma equipe de quatro médicos no hospital Ashalya Nursing Home, na cidade de Guntur, que fica no estado sulista de Andhra Pradesh. "A cirurgia correu bem. A mãe e os bebês estão saudáveis, sem complicações", disse à CNN a doutora Umashankar.

Logo após o parto, dona Mangayamma foi levada para a unidade de terapia intensiva para sair do estresse que sofreu nas últimas horas.

 

Mulher de 74 anos dá à luz a gêmeos na Índia e caso vira uma polêmica médica

 

Os bebês são duas meninas que pesam 2 quilos. Emocionada, a idosa disse que "finalmente se sente completa após uma espera de décadas". "Ninguém pode mais me chamar de infértil, eu não tenho palavras para descrever esse momento. Estou muito feliz. Deus respondeu às nossas orações", festejou Mangayamma.

A comemoração pelo nascimento seguiu uma tradição local. O pai, Raja Rao, e outros membros da família distribuíram doces para uma multidão reunida do lado de fora da clínica, depois que a notícia se espalhou pela cidade.

Por causa da idade da mãe e da gestação delicada, os médicos querem que Mangayamma fique internada mais 21 dias. "Não estamos permitindo que a mãe amamente, e os bebês serão alimentados pelo banco de leite", disse Umashankar.

Apesar de a senhora Erramatti estar se sentindo bem, o parto das gêmeas virou uma grande polêmica na Índia.

A doutora Sanakkayala Umashankar, que liderou a equipe médica, está sendo acusada de querer se promover com a situação inédita. Colegas de profissão questionaram se não faltou responsabilidade permitir que uma paciente tão idosa passasse por uma fertilização in vitro. Outro ponto diz respeito ao futuro das crianças. Até quando elas devem ter país.

Em resposta, a médica Umashankar deu a seguinte declaração ao jornal The Daily Telegraph: "Ela foi encaminhada a nós por uma junta médica que declarou que estava saudável o suficiente para passar pelo procedimento. Para mim, foi apenas outro caso".

Quando perguntada sobre as críticas à ética de aplicar fertilização in vitro em uma mulher da idade de Mangayamma, a médica afirmou: "Essa é uma pergunta emocional. Eu não posso responder isso".

As cobranças não pararam. Doutora Umashankar foi acusada de tentar se promover como a médica que conseguiu a fertilização com a mulher mais idosa que a medicina tem registro.

"Não, não foi para nenhum registro. É a mídia que está falando sobre registros", rebateu Umashankar. "Nós não contamos a ninguém nem divulgamos, ela estava no hospital há nove meses sob nossos cuidados", concluiu.

Sobre as dificuldades que a nova mamãe pode ter daqui para frente, a médica não se mostrou preocupada. "Ela tem uma forte rede familiar e eles a ajudarão", disse.

Por fim, Umashankar foi questionado se teria ganhado muito dinheiro com a história.

O custo médio da fertilização in vitro na Índia é de 100 mil a 125 mil rúpias (entre 57 mil e 72 mil reais). Umashankar disse que a clínica renunciou à cobrança. "Eu não achei que ela pudesse engravidar, então não sentimos o direito de cobrá-la. Medicamente, é uma maravilha que ela tenha feito", finalizou.

De acordo com a BBC, Sitarama Raja Rao, o pai das gêmeas, sofreu um AVC logo após o nascimento das filhas, e encontra-se hospitalizado. 

 

Mulher de 74 anos dá à luz a gêmeos na Índia e caso vira uma polêmica médica

 

Pode ser um recorde

 

Por enquanto, não há como bancar de forma taxativa se o caso do nascimento das gêmeas é mesmo um recorde por causa da idade da mulher. A mãe mais velha registrada era outra indiana, Daljinder Kaur de Amritsar. Ela deu à luz a um bebê aos 72 anos em 2017.

Para a doutora Umashankar não resta dúvida. "É outro recorde mundial. Mangayamma e seu marido também estão felizes. Ela está muito confiante agora. Mais confiante do que nunca em sua vida, e está ansiosa pelo próximo capítulo de sua vida com as crianças", comemorou.

A gravidez acima dos cinquenta anos se tornou mais comum devido aos recentes avanços da medicina. Mesmo assim, os médicos explicam que os riscos para as mulheres grávidas também aumentam proporcionalmente com a idade, especialmente depois dos quarenta anos.

 

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Mulher de 74 anos dá à luz a gêmeos na Índia e caso vira uma polêmica médica

Enviando Comentário Fechar :/