O caso foi revelado durante o julgamento de um mafioso na Itália
Mulher liga forno para cozinhar strudel e torra 40 mil euros que estavam escondidos

Silvia Moro queria agradar o noivo, que mora na cidade de San Donà di Piave. Ela foi para a cozinha e começou a preparar uma deliciosa surpresa. O prato escolhido pela mulher era um strudel.

O que ela nem sonhava é que iria "queimar" a massa austríaca mais cara do mundo. Com a iguaria, dezenas de notas de euros foram esquentadas a uma temperatura de 200 graus.

Quando Silvia percebeu já era tarde. Todo o dinheiro que o empresário Alberto Vazzoler tinha malocado em um esconderijo quente tinha ido embora. Para ser mais preciso, 40 mil euros, cerca de 184 mil reais.

De acordo com o investigador Roberto D'Angelo, que vasculhava a vida de Vazzoler, Silvia não viu que o dinheiro virava cinzas porque estava conversando com uma irmã no celular.

Ao perceber o desastre gastronômico, a mulher que nasceu em Treviso mandou uma mensagem pelo WhatsApp para a irmã com o seguinte texto: "Eu fiz uma besteira, eu cozinhei o strudel no forno onde 40 mil euros estavam escondidos".

A revelação do tórrido acontecimento foi feita na semana passada durante o julgamento de Vazzoler em um tribunal de Pádua. Alberto, que também é dentista, tem várias acusações de transferências ilegais de moedas para o exterior. Ele seria o líder de um grupo criminoso.

A polícia acredita que o mafioso conseguiu enviar uma quantia em torno de 46 milhões de euros para contas em paraísos fiscais.

Alberto Vazzoler e seus cúmplices agiam da seguinte forma. Primeiro eles colocavam a bufunfa em bancos suíços. Depois, através de transferências bancárias, uma parte da grana era enviada para empresas fictícias na República Tcheca e Eslováquia, e os comparsas compravam barras de ouro. Outra parte do dinheiro era enviada para empresas sediadas em Dubai.

Nos Emirados, Elena Manganelli Di Rienzo, ex-amante de Vazzoler, recolhia a grana e depositava em novas contas na Suíça de clientes da organização.

Alberto e seus homens ficavam com comissões que variavam de 5% a 10% de todo o dinheiro.

Segundo as autoridades italianas, Vazzoler também guardava grande quantidade de notas dentro de casa em locais que não chamassem atenção para não ser flagrado em uma eventual "batida" policial.

 

Até um Porsche deixou o mafioso na mão

 

O episódio do strudel não foi o único insólito na vida do dentista de 52 anos. O ricaço que lavava de dinheiro gostava de desfilar em um Porsche. Foi no carrão importado do criminoso que a polícia descobriu boa parte das maracutaias que ele fazia.

Uma escuta tinha sido instalada no teto do possante. Sem que Alberto soubesse, ele se entregou revelando confidências crimininosas para a noiva e fazendo comentários quando ouvia noticiais no rádio.

Após o episódio do strudel, quando passeava com o Porsche, ele disse para a caliente amada. "Eu tenho medo de ter tanto dinheiro, isso é suficiente agora. Não quero acabar como Fabrizio Corona quando encontraram 500 mil euros escondidos em um teto falso".

Alberto Vazzoler atualmente cumpre pena em prisão domiciliar na casa dos pais dele.

 

Mulher liga forno para cozinhar strudel e torra 40 mil euros que estavam escondidosAlberto Vazzoler

 

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Mulher liga forno para cozinhar strudel e torra 40 mil euros que estavam escondidos

Enviando Comentário Fechar :/