O fim dessa história poderia ter sido de forma trágica. Felizmente, Maria Boxall escapou sem ser picada
Mulher volta de viagem e ao chegar em casa descobre uma cobra na mala

Tem alguns relatos sobre "surpresas" dentro de sapatos que são bem comuns. Vira e mexe alguém conta que encontrou um escorpião quando foi colocar um calçado. Há também quem já viu outros bichinhos que não eram peçonhentos. Agora, fechar a mala e trazer em um voo internacional uma cobra até a casa onde mora sem saber que o réptil estava lá dentro parece novidade. Outro problema é que a píton malhada foi parar em um país que não tem esse tipo de cobra e agora ela vai ter que passar por uma quarentena para se adaptar ao novo lar.

Da Austrália para a Escócia. Esse foi o caminho de volta para casa que a vovó Maria Boxall fez ao terminar um passeio de férias internacionais. Se ela já tinha bons casos para contar à família e aos amigos, agora a escocesa tem mais um para incluir na lista, só que esse é completamente sui generis.

Para narrar esse fato, primeiro dona Maria precisa admitir que ela "brincou" com a sorte. Quando ainda estava hospedada em Queensland a senhora viu uma cobra dentro do quarto, mas não deu muita importância, segundo a própria contou para os parentes. A senhora Boxall pensou que o bicho tivesse ido embora.

No dia de partir, dona Maria fechou a mala e zarpou para o aeroporto. O desembarque aconteceu em Glasgow, na Escócia, uma viagem de 15 mil quilômetros. Do aeroporto ela seguiu para casa na cidade Bridge of Allan, no Condado de Stirlingshire.

Ao chegar na residência e desfazer a mala, foi aí que veio o inesperado. Primeiro a vovó viu algo estranho dentro de um sapato que ainda estava na bagagem. Ela pensou que era uma "pegadinha" de alguém da família que também esteve no passeio. Mas ao tocar na píton a cobra se mexeu.

Assustada, finalmente dona Maria percebeu que a "companheira" de quarto em Queensland tinha embarcado também rumo à Europa. O detalhe é que a mala passou pelo raio X e ninguém viu nada.

A senhora Boxall recorreu a um parente para ajudá-la a se ver livre daquele embaraço. Com jeitinho ele conseguiu levar a cobra até um quintal e acionou a equipe da SPCA, uma entidade de proteção aos animais.

"Quando chegamos, a cobra tinha sido presa, então, eu a removi da propriedade com facilidade", contou Taylor Johnstone, que trabalha com resgate na SPCA.

Mas as surpresas não pararam por aí. Ao continuar revirando a mala, dona Maria descobriu ainda que a píton tinha trocado de pele durante as muitas horas da viagem e deixou a carcaça velha dentro do sapato.

 

Mulher volta de viagem e ao chegar em casa descobre uma cobra na malaFoto: Scottish SPCA

 

O caso rendeu e foi parar na imprensa da Austrália. Paul Airlie, genro da senhora Boxall, contou a história da cobra viajante para uma estação de rádio do país da píton que ficou famosa. Ele explicou que a sogra mencionou ter visto uma cobra no quarto dela antes de voltar da viagem, mas imaginou que o animal tinha ido para outro lugar.

Felizmente, e para sorte de dona Maria, a cobra era uma píton malhada, um tipo não venenoso e que também não é considerado perigoso.

O problema agora é que na Escócia não tem essa espécie, muito comum na Austrália, e a cobra não pode ser solta na natureza sem passar por uma quarentena. Segundo a SPCA, ela vai ficar isolada por cerca de seis meses em um centro de resgate de animais em Edimburgo.

Após a quarentena, provavelmente a píton seguirá para os cuidados de um zoológico.

 

Os voos de serpentes

 

Em 2012, um vôo da Egypt Air foi forçado a fazer um pouso de emergência em um resort no Mar Vermelho, na cidade turística egípcia de Al Ghardaqa, depois que uma cobra mordeu um passageiro que tinha contrabandeado o réptil.

Pelo rádio, o piloto australiano justificou assim a necessidade de descer na primeira pista de pouso: "Eu tenho uma cobra a bordo do avião". A aeronave transportava noventa passageiros do Cairo para o Kuwait.

O dono da víbora era um jordaniano proprietário de uma loja de répteis no Kuwait, e tinha escondido a cobra egípcia em uma bolsa de mão, mas ela conseguiu escapar pelo bagageiro interno, explicou um funcionário da Egypt Air.

Ao ser ferido, Akram Adbul Latif, de 48 anos, passou a se contorcer, mas em solo ele recusou tratamento médico de emergência, alegando que a mordida era superficial.

Os médicos queriam que Latif passasse 24 horas no hospital como medida de precaução, porque o veneno da cobra podia ser fatal.

A CNN divulgou na época que o veneno daquele tipo de serpente poderia matar um elefante adulto dentro de três horas e um humano em apenas 15 minutos. Especialistas explicam que o veneno destrói o tecido nervoso e causa paralisia e morte por causa de insuficiência respiratória.

Latif seguiu viagem, mas a cobra foi confiscada.

Quatro anos mais tarde outra cobra venenosa apareceu no bagageiro interno do voo 231, da companhia Aeroméxico, que saiu de Torreón com destino à Cidade do México.

Um professor universitário que estava a bordo capturou a víbora verde, de um metro e meio de comprimento, usando um cobertor.

"Era uma cobra voadora. Foi uma experiência única. Tive que capturá-la com um cobertor e, obviamente, demos a ela algumas revistas para passar o tempo", narrou a experiência inusitada o professor Indalecio Medina com bom humor.

O comandante da aeronave recebeu prioridade para aterrissar. Em solo, especialistas em cobras esperavam para retirar o animal do avião e levá-lo a um local adequado. Não se sabe como o réptil foi parar na aeronave.

 

Mulher volta de viagem e ao chegar em casa descobre uma cobra na malaFoto do professor Indalecio Medina

 

Em 2018, a Egypt Air voltou a ser notícia com a informação de que outra cobra tinha sido encontrada durante um voo. Mas a companhia aérea estatal soltou um comunicado negando que um de seus jatos tenha feito um pouso de emergência por encontrar uma víbora a bordo de uma viagem para o Kuwait.

A Egypt Air sugeriu que a mídia verificasse a exatidão das notícias antes de fazer publicações. No texto a empresa afirmou a necessidade de que a coordenação da equipe de comunicação da companhia seja consultada diante de fatos para "assegurar a robustez das notícias, para manter transparência e credibilidade perante a opinião pública".

"A empresa aérea nacional denuncia as tentativas de alguns sites de notícias tentarem difamar seu status de líder ao republicar histórias falsas e antigas que datam de 2012", dizia ainda a declaração da companhia.

Uma das empresas aéreas mais antigas do mundo, a Egypt Air foi fundada em maio de 1932. Hoje é a sétima transportadora do planeta.

Sobre o réptil da dona Maria, vale ressaltar que a Austrália é considerada "um paraíso para as pitões". No país existem mais de uma dúzia de espécies.


Foto da capa: Píton / Scottish SPCA

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Mulher volta de viagem e ao chegar em casa descobre uma cobra na mala

Já temos 2 comentário(s). DEIXE O SEU :)
jussara duarte

jussara duarte

Achei uma na minha gaveta, é a pior sensação que já senti.
★★★★★DIA 27.02.19 18h12RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Eita! Que perigo. É preciso tomar muito cuidado, principalmente quando se faz passeios em sítios, hotel fazenda, resort próximos a florestas e propriedades rurais. Não podemos esquecer que o homem muitas vezes tem invadido um meio que é delas. Jussara, venha sempre nos visitar no blog. Abraço.

★★★★★DIA 27.02.19 20h39RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Enviando Comentário Fechar :/