Não foi a primeira vez que os americanos usaram animais treinados para eliminar os maiores terroristas do mundo
O cachorro que perseguiu o líder do EI até a morte

A história se repetiu. Quando os Estados Unidos encontraram Osama bin Laden em Abbottabad, no Paquistão, no dia 2 de maio de 2011, agentes do comando especializado da Marinha usaram cães preparados para operações especiais. Com o faro, os animais ajudaram a localizar o terrorista dentro da fortaleza de dois andares.

Oito anos depois, as equipes conhecidas como Força Delta e Rangers do Exército dos Estados Unidos realizaram outra ação igualmente cinematográfica, agora na província de Idlib, no noroeste da Síria. Ao todo, cerca de 70 oficiais estiveram na ação que contou com o apoio de oito helicópteros.

O bombardeio ao refúgio do líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, provocou um enorme estrago. No instante final, os soldados derrubaram uma parede da casa e entraram a procura do chefe do terror.

Al-Baghdadi ainda conseguiu correr e se meteu em um túnel que seria seu esconderijo. Foi aí que os soldados recorreram aos cães para encontrar o fugitivo. Quem localizou o líder do EI foi um pastor belga malinois.

Sem ter como seguir em frente, al-Baghdadi detonou um colete cheio de explosivos. O poder de destruição era tão alto que o túnel desabou. Três filhos pequenos do terrorista, que estavam com o pai, também morreram na hora. O pastor belga não.

As autoridades informaram que o cão teria sofrido ferimentos. Na segunda-feira, o presidente Donald Trump veio a público para fazer elogios ao cão adestrado que pertence a uma raça considerada de ótimo faro.

Trump publicou uma foto do "herói", e disse que se tratava de um cachorro "muito bonito e talentoso", mas não revelou o nome do animal por uma questão de segurança. "Nós tiramos a confidencialidade da foto do cachorro maravilhoso que fez um grande trabalho em capturar e matar o líder do EI, Abu Bakr Al-Baghdadi", postou o presidente.

O general norte-americano Mark Milley deu mais detalhes. Ele explicou que o cão se feriu levemente e se recuperou bem. Segundo o militar, o animal já voltou à atividade.

 

Como o exército chegou ao esconderijo

 

O exército americano e aliados começaram a se aproximar de al-Baghdadi em fevereiro de 2018, depois que um dos maiores assessores do líder do Estado Islâmico foi capturado. Autoridades de segurança iraquianas revelaram que as equipes de inteligência conseguiram importantes informações como o terrorista conseguiu se esconder durante tantos anos.

Há um mês as evidências sobre a presença do homem mais procurado no mundo em um vilarejo chamado Barisha, no noroeste da Síria, ficaram mais fortes. Um agente das forças curdas conseguiu pegar uma peça de roupa íntima do líder do EI para ser examinada em testes de laboratório.

"Uma de nossas fontes foi capaz de chegar à casa onde se escondia Al-Baghdadi (…), conseguiu se aproximar dele e pegou uma de suas roupas íntimas para a realização de um teste de DNA e verificar 100% sua identidade", contou Polat Can, assessor das Forças Democráticas Sírias, aliança controlada pelos combatentes curdos.

Ainda de acordo com Can, os passos do jihadista foram acompanhados durante os últimos cinco meses. “Desde 15 de maio trabalhávamos com a CIA para seguir al-Baghdadi e vigiá-lo de perto", explicou.

O assessor afirmou ainda que a ofensiva lançada pela Turquia no dia 9 de outubro contra as forças curdas, no norte da Síria, atrasou a operação, mas não impediu que a missão fosse concluída graças ao trabalho de inteligência do grupo. "Nossa fonte de inteligência esteve envolvida no envio das coordenadas (…) e participou da operação até o último minuto para que obtivesse sucesso", finalizou Can.

Com base nos dados levantados pelos curdos, os oficiais americanos passaram a preparar o ataque há duas semanas. Três dias antes da operação o presidente americano foi informado e precisou entrar em cena. Como o plano incluía um sobrevoo no espaço aéreo da Rússia, do Iraque e da Turquia, Trump teve que pedir aos países permissão para que os oito helicópteros da missão pudessem voar livremente.

De acordo com Robert O'Brien, consultor de segurança nacional, a Casa Branca não informou a natureza da operação, apenas disse aos russos que eles "gostariam" dela.

Ao anunciar a morte de al-Baghdadi, o presidente Donald Trump agradeceu aos curdos por seu papel na operação, sem dar mais detalhes. Poucas horas depois, o comandante das forças curdas, general Mazloum Abdi, divulgou outra operação militar de sucesso. Na província de Aleppo, na Turquia, soldados americanos tiveram a colaboração das forças de Defesa Sírias (SDF) para encontrar o porta-voz do Estado Islâmico. Abu Hassan Muhajir, considerado o braço direito do líder do EI, também foi abatido.

O sepultamento de al-Baghdadi obedeceu ao mesmo protocolo usado com Osama Bin Laden, segundo Robert O'Brien. O corpo do líder da Al-Qaeda foi lançado ao mar, após autoridades americanas consultarem especialistas no islã.

"Os restos mortais de al-Baghdadi foram levados para uma instalação segura para confirmar sua identidade com exames de DNA, e a eliminação deles foi realizada de forma completa e de maneira apropriada", afirmou o chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas, Mark Milley, em entrevista coletiva no Pentágono.

Veja também

Olá, deixe seu comentário para O cachorro que perseguiu o líder do EI até a morte

Já temos 7 comentário(s). DEIXE O SEU :)
Renato Teixeira

Renato Teixeira

Sou fa do Uai.com.br
★★★★★DIA 31.10.19 22h30RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Roger França

Roger França

Muito obrigado Guilherme. Reportagem séria, texto bem escrito e informações confiáveis. Parabéns. É a primeira vez de muitas que visitarei o seu trabalho
Obrigado
Rogerio França
★★★★★DIA 30.10.19 22h19RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Volte sempre. Grande abraço 

★★★★★DIA 30.10.19 23h22RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Waldir Pires

Waldir Pires

Quando se tem um jornalismo sério é outra coisa. parabéns ai Guilherme pelo ótimo trabalho apresentado. Nota 10.
★★★★★DIA 30.10.19 19h12RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Waldir, muito obrigado por prestigiar o nosso espaço. Volte sempre. E obrigado pelas palavras. Grande abraço 

★★★★★DIA 30.10.19 19h25RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Giulius Mua

Giulius Mua

Bem descritiva a reportagem.
★★★★★DIA 29.10.19 19h48RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

Obrigado pela leitura e pelo elogio. Volte sempre para nos visitar. Grande abraço. 

★★★★★DIA 29.10.19 21h15RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Enviando Comentário Fechar :/