Não é para qualquer um. Quem se enfiou, agora, no restrito grupinho dos maiores endinheirados do planeta é o dono da grife Louis Vuitton
O terceiro homem a juntar US$ 100 bilhões em sua conta bancária

Até terça-feira (18/06), apenas Jeff Bezos, dono da gigante do comércio eletrônico Amazon, e Bill Gates, fundador da Microsoft, tinham ultrapassado a casa de 100 bilhões de dólares em suas polpudas contas. Em valores atuais, mais de 400 bilhões de reais.

Jeff tem, segundo o Índice de Bilionários da Bloomberg, que calcula a grana dos maiores empreendedores do mundo, cerca de US$ 119 bilhões.

A fortuna de Bill Gates é um pouco menor, está avaliada em US$ 106 bilhões.

Quem alcançou o terceiro dígito foi o mega empresário Bernard Arnault. A lista dos negócios dele não é pequena. O francês preside a LVMH, uma super indústria de produtos de luxo que granfinos adoram, como a marca Louis Vuitton, os conhaques Hennessy, a champanhe Dom Perignon, os produtos de moda Christian Dior e os cobiçados relógios Tag Heuer.

Ser o dono dessas suntuosas etiquetas já tinha elevado Bernard Arnault a posição do homem mais rico da Europa. O que fez a fortuna dele crescer ainda mais foi a valorização das ações de suas empresas em 2,9% no começo da semana, depois que foi divulgado o balanço do primeiro trimestre do conglomerado.

Cada ação do grupo LVMH chegou a € 368,80 (perto de R$ 1.600). Com isso, a fábula de dinheiro de Arnault alcançou a inimaginável cifra de US$ 100,4 bilhões, e Bernard se tornou o terceiro maior super-rico do mundo.

Apenas em 2019, os negócios de Arnault cresceram em US$ 32 bilhões, graças a um aumento de 16% nas receitas no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado.

A explicação para a multiplicação da grana de Bernard, mesmo em um mundo em crise, está na crescente estabilidade do mercado de luxo e de destilados, segundo o site da Forbes. Nem os rumores de que pudesse diminuir a demanda chinesa, grande consumidora dos produtos da LVMH, freou a companhia.

"As tendências observadas em 2018 continuaram ao longo do primeiro trimestre deste ano. Todas as regiões geográficas estão experimentando um bom crescimento", informou a direção da empresa em comunicado à imprensa.

A título de curiosidade, a fortuna de Bernard Arnault equivale hoje a 3% de toda a economia francesa.


Bilionários e filantropos


Quanto mais faturam, mais os três ricaços também participam de ações de doações de dinheiro e de campanhas beneficentes.

Com 70 anos, o senhor Arnault foi um dos que se credenciaram recentemente a colaborar com a reconstrução da Catedral de Notre Dame, parcialmente destruída após o incêndio de abril. O valor que os magnatas se dispuseram a doar ultrapassou a US$ 650 milhões.

O envolvimento de Bill Gates em filantropia não é novidade. Com a esposa Melinda, eles criaram uma fundação e doaram mais de US$ 35 bilhões. A Bill & Melinda Gates Foundation tem como orientação ajudar na melhoria das condições de vida de pessoas necessitadas, custeando tratamento de saúde e lutando contra a pobreza em vários lugares do mundo. Promover a educação e o acesso à tecnologia também são metas dos Gates.

O líder da lista de homens mais ricos do planeta, Jeff Bezos, dono da Amazon, tem uma fortuna estimada em US$ 119 bilhões. As economias dele eram bem maiores até o início de 2019, quando o casal Bezos anunciou o divórcio em janeiro. A esposa MacKenzie ficou com US$ 36 bilhões em um acordo dos ex-parceiros.

Mesmo com a divisão do patrimônio, a família Bezos tem ampliado a participação em campanhas sociais. Jeff doou cerca de US$ 100 milhões à pesquisas sobre doenças do câncer e para a Princeton, onde estudou.

No ano passado, ele criou a Bezos Day One Fund e vai entregar 2 bilhões de dólares para um programa de apoio aos sem-teto de Seattle. O programa investirá ainda na edução pré-escolar de comunidades de baixa renda.

Dona sozinha, agora, de outra considerável fortuna, MacKenzie Bezos se tornou a quarta mulher mais rica do mundo com seus US$ 36 bilhões, mas ela já anunciou que quer destinar metade de seu tesouro para doações de caridade.

"Além de qualquer ativo que na vida tenha sido criado por mim, tenho uma quantidade desproporcional de dinheiro para compartilhar", disse MacKenzie Bezos em um comunicado. "Minha abordagem para a filantropia continuará a ser atenciosa. Vai levar tempo, esforço e cuidado", completou a nova solteirona milionária.

 

O terceiro homem a juntar US$ 100 bilhões em sua conta bancária Ex-casal Bezos

 

Veja também

Olá, deixe seu comentário para O terceiro homem a juntar US$ 100 bilhões em sua conta bancária

Enviando Comentário Fechar :/