Segundo o governo francês, a estrutura continua ameaçada de colapso
Pedras caem do teto de Notre Dame e Catedral corre novo risco de desabar

O gigantesco incêndio do dia 15 de abril, que destruiu boa parte do monumento religioso, ainda ameaça seriamente a estrutura da igreja. Para piorar a situação, o forte calor no hemisfério norte esse ano ajudou a trazer mais riscos. 

A temperatura alta, especialmente em Paris, fez pedras se desprenderem e despencarem de grandes alturas, trazendo à tona novos riscos de desabamento, de acordo com o governo francês.

"Recentemente aconteceram novas quedas de pedras das abóbadas da nave após a onda de calor do fim de julho", explicou o ministério da Cultura.

O novo susto aconteceu em um momento de crescentes preocupações com a saúde dos homens que trabalham nas obras de recuperação da catedral.

Durante o incêndio várias toneladas de chumbo contidas na torre e no teto do edifício se fundiram e dispersaram na forma de partículas na atmosfera. Para evitar que pessoas se contaminem com o perigoso elemento químico, a área em torno de Notre Dame tem sido monitorada.

No dia 25 de julho, os trabalhos no interior da igreja tiveram que ser suspensos depois que foram detectados níveis perigosos de resíduos de chumbo.

As aulas em duas escolas próximas à catedral também tiveram que ser suspensas. Cerca de 180 crianças que participavam de cursos de verão permaneceram em casa.

Essa semana as autoridades determinaram que fosse feito um trabalho de limpeza do chumbo nos arredores da igreja. Segundo alguns críticos, essa medida deveria ter sido tomada há mais tempo.

Responsáveis pela área de Saúde estão recomendando que as pessoas que foram expostas a mais de 70 microgramas de chumbo façam exames de sangue. Em partes do centro de Paris foram registrados níveis superiores a esse.

A suspensão das obras desencadeou outro drama. O ministério da Cultura da França tem chamado a atenção para uma necessidade urgente de se continuar trabalhando para consolidar a estrutura e eliminar o "risco persistente" de colapso da catedral.

A previsão inicial era de que essa semana os operários retomassem as atividades, mas uma nova data foi marcada, dia 19 de agosto. Mesmo com o adiamento, autoridades locais afirmaram que só irão autorizar o recomeço da obra se ficar assegurado que "os requisitos de segurança serão cumpridos".

"As recomendações da inspeção de trabalho já foram em grande parte levadas em consideração e serão aplicadas durante todo o processo de restauração", garantiu nesta quarta-feira o ministério da Cultura.

As obras de recuperação do templo religioso começaram no dia 16 de abril, um dia após o incêndio em Notre Dame.

 

Pedras caem do teto de Notre Dame e Catedral corre novo risco de desabar

* as fotos que ilustram a matéria são do site Pixabay e retratam Notre Dame antes do incêncio

 

 

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Pedras caem do teto de Notre Dame e Catedral corre novo risco de desabar

Enviando Comentário Fechar :/