Kazuyoshi "Kazu" Miura acaba de assinar novo contrato com Yokohama FC, do Japão. Em fevereiro ele completará 52 anos e o touro indomável está pronto para ampliar ainda mais o recorde de longevidade do futebol
Perto de completar 52 anos, craque japonês renova contrato por mais uma temporada

 

Vai ser difícil alguém algum dia ir tão longe dentro dos campos. Quem teve perna e pulmão para chegar perto disso foi o inglês Stanley Matthews, que atuou até os 50 anos na década de 60. Mas os tempos eram outros, sem tanta exigência física. O guerreiro samurai joga em uma fase do futebol que necessita de muita vitalidade. Mas não se iluda que ele vai se arrastar em campo e apenas fazer número. No ano passado Kazu disputou onze jogos pelo clube na segunda divisão e por pouco não subiu com o Yokohama FC para a primeira divisão japonesa. O Miura tá cheio de gás e pronto para derrubar qualquer adversário que aparecer pela frente.

Quem conhece de boi sabe do que os Miuras são capazes. A raça em extinção é um animal selvagem, usado apenas em arenas para touradas. O animal não serve para corte e nem na produção de leite. Mas jogar no chão um baita desses não é fácil.

Talvez não seja à toa que Kazu tenha herdado esse sobrenome. O japonês é duro na queda. Duro, não, duríssimo. Desde a década de 80 ele tenta vingar no futebol. Você, que está lendo esse artigo, provavelmente não tenha nem nascido quando Miura se profissionalizou. O primeiro clube dele foi o Jonai F.C, em 1973, mas naquela época o futebol japonês era amador.

Miura arrumou as malas e se mandou para o Brasil.

Em 1982 ele desembarcou por aqui sozinho, com 15 anos, para ser jogador da base do Juventus, de São Paulo. O pai, era um empresário milionário no Japão e decidiu apostar (e bancar) o sonho do filho de jogar futebol. O garoto se profissionalizou com apenas 18.

Fez um périplo por vários estados. Defendeu as camisas de Santos, Palmeiras, Matsubara, CRB, XV de Jaú e Coritiba.

Kazu foi o primeiro japonês a jogar no Brasil.

Antes de voltar para casa ainda passou pela Itallia e assinou com o Genoa e envergou a camisa do Croatia Zagreb (atual Dínamo de Zagreb).

Nos anos 90, participou do lançamento da J League com lendas como Gary Lineker e Zico. Foi escolhido MVP na temporada de estreia.

Em seu país jogou pelo Kyoto Purple Sanga e Vissel Kobe até 2005.

Com 38 anos finalmente foi parar no Yokohama FC.

De lá para cá, só saiu do time por empréstimo para disputar o Mundial de Clubes emprestado ao Sydney FC da Austrália, também em 2005. Deixou o nome dele marcado na competição ao marcar dois gols.

 

Dos campos para as quadras

 

Em 2012, o Yokohama FC emprestou Miura ao Espolada Hokkaido, da liga japonesa de futsal. O argumento era de que o king Kazu iria "ganhar experiência" para participar do Mundial da Tailândia pela Seleção Japonesa de Futsal.

Com a bolinha menor e mais pesada a trajetória não tem nada de muito relevante que mereça ser destacada, a não ser um único gol marcado em um amistoso contra a Ucrânia.

Kazu voltou correndo para o gramado.

Já pela seleção principal do Japão a história do King é rica e bem interessante. Só faltou a Lenda jogar uma Copa. Em 89 aparições com a camisa do país fez 55 gols. Até hoje Kazu é o maior artilheiro da seleção.

No auge da carreira e ídolo, inexplicavelmente Miura não foi relacionado para estar na Copa de 1998, por opção do técnico Takeshi Okada que excluiu o artilheiro da lista final.

Durante a preparação ele havia marcado 8 gols nas partidas contra a seleção de Macau, 6 em um único confronto.

Enquanto continua correndo pelos campos cheio de energia Kazu vai estabelecendo recordes e mais recordes. Em 2016, no dia em que enfrentou o Cerezo Osaka, ele se tornou o jogador mais velho a marcar gol num jogo oficial. O meia atacante do Yokohama FC tinha 49 anos.

Em 2017, outro feito histórico que vai ficar registrado para sempre no futebol mundial. A cada partida que entrava em campo ele ampliava o recorde de jogador mais velho a jogar profissionalmente em competições oficiais, superando a marca que pertencia ao inglês Stanley Matthews, que jogou até os 50 anos.

No início de 2018, Kazu assinou novo contrato para disputar a 33ª temporada de sua carreira, vestindo o uniforme do Yokohama FC. Ao longo do campeonato da segunda divisão entrou em campo 11 vezes, sem marcar nenhum gol.

No último dia 11, o camisa 11 do Yokohama surpreendeu ao anunciar às 11h e 11 minutos que havia renovado seu contrato pelos próximos 12 meses.

Em fevereiro, no dia 26, King Kazu estará completando 52 anos, cheio de disposição.

"Renovei o contrato para a temporada de 2019. Não vou desperdiçá-lo por nem um minuto, nem um segundo. Eu acho que quero ficar cara a cara com o futebol e ir treinar diariamente com o máximo de força", avisou o imparável atacante.

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Perto de completar 52 anos, craque japonês renova contrato por mais uma temporada

Enviando Comentário Fechar :/