A contagem dos títulos começou em 1959, quando foi criada a Taça Brasil. E no segundo ano o Verdão já era campeão pela primeira vez
Porque se diz que o Palmeiras pode ser decacampeão

Até hoje muitos torcedores só contam os títulos de campeão brasileiro dos vencedores de 1971 para cá. A explicação está na criação naquele ano pela antiga CBD de uma competição que passou a se chamar Campeonato Brasileiro. Antes eram realizadas outras disputadas envolvendo clubes de vários estados, mas com nomes diferentes. Começou em 1959, conhecida como Taça Brasil. Depois virou Roberto Gomes Pedrosa e, por fim, Taça de Prata. A unificação veio em 2010, em um movimento reunindo os clubes que tinham sido vencedores até o início da década de setenta, mas que não eram considerados campeões nacionais. O Palmeiras já tinha quatro canecos. 

 

Começou como Taça Brasil

 

A Taça Brasil foi criada no fim da década de 50 por dois motivos. O primeiro diz respeito ao interesse de se encerrar o Campeonato de Seleções Estaduais, que tinha muitos problemas com a logística dos jogos. O segundo ponto, e mais relevante, era a necessidade do país escolher seu representante para jogar a Copa Libertadores. Na primeira edição o Bahia se sagrou campeão. Em 1960, deu Palmeiras. Depois o Santos de Pelé emendou uma sequência de cinco títulos consecutivos, o que até hoje é um recorde no futebol brasileiro. O Cruzeiro venceu em 66.  

 

Mudanças de nomes e mais campeões

  

No ano seguinte, além da Taça Brasil outra competição nacional foi criada, o Torneio Roberto Gomes Pedrosa. Dois campeonatos passaram a ser disputados a cada temporada. Nesse período existem 3 campeões brasileiros. A explicação é a seguinte. 

Em 1967, o Palmeiras ganhou a Taça Brasil e o Roberto Gomes Pedrosa. Em 68, o Botafogo conquistou a TB em sua última edição, e o Santos o Robertão, que passou a ser chamado de Taça de Prata. 

Em 1969, voltou a ser jogado só um certame, e deu Palmeiras de novo. Essa confusão de competições e nomes acabou em 1971 quando a CBD criou o Campeonato Brasileiro. O Atlético Mineiro triunfou e carregou até 2010 a fama de ser o primeiro campeão brasileiro quando a CBF aceitou unificar os títulos de todas as competições nacionais. No meio desse caminho o Palmeiras voltou a ganhar em 1972, 1974, 1993 e 1994. 

 

Unificação, reivindicação antiga

 

Durante muitos anos os clubes que tinham se sagrado campeões antes de 1971 pediram a CBF a padronização dos títulos. Pelo menos duas grandes ofensivas foram feitas nesse sentido. A primeira no fim da década de 90. O presidente do Cruzeiro era Zezé Perrella. Na época ele reuniu farto material jornalístico do título do clube de 1966 e levou até a entidade máxima do futebol junto com Palmeiras e Santos. O Jornal dos Sports, antigo periódico carioca, trazia em sua machete no dia seguinte a vitória dos mineiros sobre o Santos no Pacaembú por 3 a 2 a manchete: Cruzeiro Campeão Brasileiro.

Mas essa investida não sensibilizou muito a cúpula do futebol nacional. Em 2010, outro movimento foi iniciado partindo do Santos. O hoje presidente José Carlos Peres foi quem liderou a campanha. Ele bateu na porta de todos os clubes que tinham o sonho do reconhecimento de seus títulos. Em Belo Horizonte eu fui escolhido o representante do Cruzeiro para novamente reunir artigos jornalísticos. 

O que de mais importante foi enviado pelos clubes acabou fazendo parte de um dossiê entregue ao ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, no dia 10 de novembro. No momento do encontro nomeamos o ex-presidente do Santos, Luís Álvaro de Oliveira, como o orador para defender a causa. Dr Álvaro era um homem fino e muito articulado. Soube conduzir com maestria a reunião e expor todas as justificativas com muita coerência, afinal, entre 1959 e 1970, existiram campeões brasileiros que representaram o país. 

 

 

Porque se diz que o Palmeiras pode ser decacampeão

 

 

Eu pedi a palavra no fim e usei um argumento que julguei importante. Sentado ao lado do Ricardo Teixeira falei a seguinte frase: presidente, dois dos maiores jogadores da história do futebol brasileiro ganharam essas competições e a CBF não reconhece até hoje Pelé e Tostão como campeões brasileiros. Nesse instante Ricardo mandou chamar um representante do departamento jurídico e nos prometeu que a entidade iria examinar todo o material com muito carinho. Pouco mais de um mês depois, no dia 13 de dezembro, a Confederação Brasileira de Futebol anunciava a unificação dos títulos e Pelé passava a ser seu maior campeão com 6 taças. 

 

Porque se diz que o Palmeiras pode ser decacampeãoEncontro na CBF no dia 10 de novembro de 2010

 

Antes dessa história terminar ficou faltando falar de uma outra epopéia dos paulistas. Em 2016, o Palmeiras conquistou novamente o Campeonato Brasileiro, se isolando no ranking com 9 títulos e deixando para trás o Santos, o segundo colocado com 8 títulos. Polêmicas a parte, não há como negar que o Verdão, vira e mexe mostra que, de fato, é campeão!

 

Porque se diz que o Palmeiras pode ser decacampeão

 

 * A foto da capa é de autoria de Ricardo Stuckert/CBF

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Porque se diz que o Palmeiras pode ser decacampeão

Já temos 2 comentário(s). DEIXE O SEU :)
Marcia Mendes

Marcia Mendes

Bom saber que você fez parte desta história!
★★★★★DIA 22.11.18 00h00RESPONDER
Guilherme Mendes
Enviando Comentário Fechar :/
Guilherme Mendes

Guilherme Mendes

O Palmeiras tem uma história rica, assim como vários outros grandes clubes. É uma pena que o torcedor não conheça o que todos fizeram para chegar na posição de destaque que ocupam hoje. 

★★★★★DIA 27.11.18 12h04RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Enviando Comentário Fechar :/