Candidatos e marqueteiros deveriam usar preciosos minutos na TV para eleitor continuar acreditando nos políticos

Quando a gente ouve falar que a propaganda política está de volta a TV qual é a primeira coisa que as pessoas dizem?

Recomeçou essa chatice...

Algumas justificativas para a má vontade do eleitor são mais ou menos assim:

não aguento mais ver tanta gente prometendo o quê não vai cumprir... tem candidato que não sabe nem falar... tem cada gente esquisita...

No fundo essas reclamações fazem sentido. Cá pra nós, tem alternativas bem melhores nos canais pagos ou no Netflix no mesmo horário.

Mas com um pouquinho de boa vontade a aceitação poderia ser outra. Sabem como mudar esse cenário? Apostando em bom gosto. O ser humano, de qualquer classe social e financeira, tem uma característica em comum: a preferência pelo belo.

Você já viu alguém preferir uma roupa suja e com odor à uma limpa e cheirosa? Uma casa modesta à uma mansão com piscina? Um carro batido, com porta enferrujada à um modelo zero km?

O nosso cérebro é seletivo e busca sempre o nosso bem. Tá aí a explicação, ou melhor, o ponto de partida para uma mudança.

Então vamos lá. Até que a propaganda para Presidente e Governador tem alguma produção mais transada, mas quando a gente assiste a de Deputados....são quase sempre sofríveis.

Tem cada coisa tosca que quase ninguém suporta. Quase ninguém porque os pais, filhos, namorados e namoradas dos candidatos podem até achar bonitinho ver alguém tão próximo aparecer na telinha por minguados segundos. Mas a essência do material é muito ruim. A começar pela poluição visual. Enquanto o caboclo fala atrás dele tem nome de candidato a Presidente, de Governador, legenda, seu número e ainda corre na parte de baixo as letrinhas com o que ele tá falando. À essa pobreza visual soma-se o discurso do pretendente a uma cadeira na Câmara dos Deputados ou às Assembléias Legislativas. Aí o resultado costuma ser ainda pior. É um tal de “eu vou fazer” que todos parecem verdadeiros alquimistas da triste realidade brasileira. Dizem que vão transformar o país do caos a uma maravilha em tempo recorde.

As promessas da trupe vão do trágico, passando por absurdos até surfar no humor. Senão vejamos.

Outro dia teve um cidadão que prometeu colocar na cadeia todo mundo que joga uma mulher pela janela. É isso mesmo que você acabou de ler.

Claro que tem que existir punição rigorosa para os crimes, mas daí fazer de uma tragédia um palanque sensacionalista extrapola qualquer limite do bom senso e do razoável.

Um outro prometeu agulha para os doentes com diabetes.

E o que prega “chibata” nos corruptos?

Me explica o que significa “contra o desemprego rebelião”! Como assim?

Tem candidato que quer criar uma lei que inclua a venda do leite mineiro em todo o Brasil. Jura que isso é verdade? Lei?

Isso sem falar nos apelidos. Virou moda ser o "Zé da Farmácia", O "João do Açougue", o "Fulano da Pastelaria", o "Sicrano da Ambulância".... Só falta surgir o "Beltrano do Necrotério" para acabar de enterrar a nossa política.

O YouTube está cheio de vídeos que mostram esses momentos hilários de candidatos. Para não dar palanque a ninguém que concorre ao atual pleito eleitoral, escolhemos um da eleição passada, apenas a título de exemplo.

O direito de expressão deve ser preservado sempre, mas o respeito à inteligência de quem assiste também.

Taí um bom desafio para os marqueteiros que trabalham nas campanhas eleitorais.

Mãos à obra! Ajude-nos, por favor, a acreditar que essa turma que se engalfinha atirando na audiência é capaz de nos convencer que merece nosso voto antes que mudemos de canal para sempre!

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Propaganda eleitoral, lugar de ideias ou de horrores e humor?

Enviando Comentário Fechar :/