Anders Holch Povlsen passava férias com a família no país asiático. Eles estavam hospedados em um hotel de luxo
Quem é o homem mais rico da Dinamarca que perdeu três filhos nos atentados no Sri Lanka

Chega perto de 320 o número de mortos no mais violento ataque terrorista de 2019. Outras 500 pessoas ficaram feridas. Aos poucos vão sendo revelados os rosto e a identidade de cada um que perdeu a vida nas explosões de 4 hotéis de luxo, 3 igrejas e um complexo de casas nas cidades de Colombo, Negombo e Baticaloa. A maioria era de cidadãos do próprio país.

Os fiéis que celebravam o domingo de Páscoa somam o grupo mais numeroso. Centenas estavam reunidos nas igrejas que foram explodidas. Mas as autoridades locais não divulgaram até agora o número exato de cristãos. Oficial é o número de estrangeiros que morreram no domingo: 39 de diversos países.

A imprensa internacional já divulgou a morte de cinco britânicos, quatro americanos, um português, seis indianos, dois turcos, dois chineses, dois australianos, um holandês e um japonês.

Entre os indianos, cinco eram integrantes do partido Janata Dal (JDP). Eles tinham ido passar férias no Sri Lanka após a realização de eleições para a Lok Sabha, a Câmara Baixa da Índia, encerradas no dia 18 de abril.

Outra figura famosa que morreu no hotel Shangri-La, na capital Colombo, foi a chef e celebridade do Sri Lanka Shantha Mayadunne. Ela estava hospedada com a filha Nisanga Mayadunne, que também morreu.

Um pouco antes da forte explosão, Nisanga postou uma foto da família tomando café da manhã no hotel.

 

Quem é o homem mais rico da Dinamarca que perdeu três filhos nos atentados no Sri LankaShantha Mayadunne é a terceira da direita para à esquerda

 

O bilionário dinamarquês

 

Enquanto se contabiliza o número de mortos e quem eram essas pessoas, veio a confirmação de que entre as vítimas estavam três filhas do homem mais rico da Dinamarca.

O empresário Anders Holch Povlsen, de 46 anos, passeava com a família e também se hospedou no hotel cinco estrelas Shangri-La. Apenas ele, a mulher e um dos filhos se salvaram.

"Posso confirmar que três crianças morreram. Não temos mais nada a acrescentar e pedimos respeito à família neste momento", disse Jesper Stubkier, chefe de comunicação da Bestseller, uma das empresas de Povlsen.

Os nomes e as idades das crianças que morreram foram mantidos em sigilo. Na sexta-feira, elas haviam postado uma foto no Instagram.

 

Quem é o homem mais rico da Dinamarca que perdeu três filhos nos atentados no Sri Lanka


Anders nasceu na pequena cidade de Brande, na península da Jutlândia, oeste da Dinamarca. Os pais dele são Merete e Troels Holch Povlsen, um casal que fez fortuna no segmento de moda com a rede Bestseller, fundada em 1975.

O negócio dos Povlsen começou com uma loja local. O filho aprendeu o ofício quando ainda era jovem e ajudou a família a prosperar no empreendimento.

Formou-se em Administração de Empresas na Dinamarca. Estudou ainda nas universidades de Anglia Ruskin e Cambridge (Inglaterra) e Berlim (Alemanha). Aos 28 anos Anders herdou a Bestseller.

O grupo possui cerca de 3 mil pontos de venda em 70 países com as marcas Vero Moda, Only e Jack & Jones.

Povlsen é também o principal acionista do e-commerce de moda britânico ASOS e o segundo maior acionista da Zalando, uma loja digital alemã de venda de roupas.

E não é só em empresas de modas que o bilionário investe. Influenciado pelo pai, Anders passou a comprar edifícios para restaurar e terras para conservação de florestas e da fauna em grande escala.

Nas propriedades na Dinamarca e no Reino Unido ele planta milhões de árvores e tenta controlar o número de cervos, que proliferaram por não terem inimigos naturais.

Na Escócia, Povlsen adquiri Highlands (Terras Altas no norte do país), onde costuma passar férias em família. Ele já possui mais de 80 mil hectares.

Em uma entrevista ao jornal britânico The Times, o magnata explicou que o longo projeto que criou de recuperação do meio ambiente só será usufruído pela geração de seus filhos: "Espero que meus filhos e outras gerações de visitantes apaixonados pela região, como nós, possam desfrutar do local".

De forma agressiva nos investimentos, "O Grande Dinamarquês", como é chamado pela imprensa inglesa, se tornou o segundo maior proprietário de terras do Reino Unido e o primeiro da Escócia.

Quem comanda a tarefa de preservação e de restaurar as antigas construções que ele compra é a sua mulher, Anne Storm Pedersen, de 40 anos. Para isso, o casal criou em 2007 a Wildland Limited. Algumas edificações foram transformadas em pequenos hotéis Wildland, que visa o turismo voltado para o respeito ao meio ambiente. Um dos mais famosos é o escocês Castelo de Aldourie.

 

Quem é o homem mais rico da Dinamarca que perdeu três filhos nos atentados no Sri Lanka

 

No site da empresa uma frase do pintor impressionista francês Claude Monet chama a atenção: "Estude a natureza, ame a natureza, permaneça junto à natureza. Ela não falhará com você".

Segundo a revista Forbes, a fortuna calculada de Anders Holch é de de 7,9 bilhões de euros (36 bilhões de reais).

Mas apesar de ter tanto dinheiro e poder, Anders Holch é considerado um homem de hábitos simples. Poucos sabiam que ele havia se hospedado no hotel Shangri-La, muitos menos que seus três filhos que morreram estudavam em escolas públicas.


Quem planejou o ataque?


Essa é a pergunta que o Sri Lanka está tentando responder desde domingo. O país tem quase 21 milhões de habitantes. A religião predominante por lá é a budista, que reúne 70% da população. Em segundo lugar aparecem os hindus, com 12%, seguidos pelos muçulmanos, que chegam a 10% dos cidadãos. Os católicos não passam de 1,2 milhão.

A adversidade religiosa e o fanatismo têm levado os asiáticos a viverem em pé de guerra. Depois de 26 anos de conflitos, em 2009 o país declarou o fim da guerra entre a maioria budista e a minoria tâmil hindu. Estima-se que entre 80 mil e 100 mil pessoas morreram brigando por causa de suas crenças.

No ano passado, o Governo chegou a declarar estado de emergência depois que confrontos entre muçulmanos e budistas deixaram dois mortos. Dezenas de pessoas foram detidas.

Segundo a Aliança Nacional de Cristãos Evangélicos do Sri Lanka, em 2018 foram registrados 86 incidentes de discriminação, ameaças e violência contra cristãos.

Na terça-feira (23/04), o grupo Estado Islâmico passou a reivindicar a autoria dos ataques da Páscoa, mas sem apresentar provas de que os terroristas mantinham algum vínculo direto com o grupo radical. Enquanto apura que são os responsáveis o governo tenta se explicar porque não tomou nenhuma medida preventiva. Catorze dias antes da carnificina, o serviço de inteligência do país emitiu relatórios alertando sobre iminentes atentados.

Nas últimas horas, as forças de segurança passaram a trabalhar com a teoria de que os ataques contra os cristãos podem ser uma retaliação. Quem planejou os atentados com homens-bomba em Colombo, Negombo e Baticaloa queria se vingar dos massacres contra muçulmanos nas mesquitas da Nova Zelândia em março.

"As investigações preliminares revelaram que o que ocorreu no Sri Lanka foi em represália aos ataques contra os muçulmanos de Christchurch", afirmou o ministro da Defesa Ruwan Wijewardene.

Ainda de acordo com o governo, por trás das explosões está a organização radical islâmica National Thowheeth Jama'ath (NTJ), um grupo radical que teria ligações com um movimento islâmico radical da Índia, o JMI (Jamaat-ul-Mujahideen India).

 

Quem é o homem mais rico da Dinamarca que perdeu três filhos nos atentados no Sri Lanka

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Quem é o homem mais rico da Dinamarca que perdeu três filhos nos atentados no Sri Lanka

Enviando Comentário Fechar :/