Vinícius Serra estava aguardando a carteira da OAB para começar a trabalhar como advogado
Quem é o homem que espancou a paisagista e quase matou a mulher

Até agora tudo o que se sabe que aconteceu no apartamento de Elaine Perez Caparros é o que ela relatou a família. A versão da vítima aterroriza. Foram cerca de quatro horas de agressões bárbaras a mulher no meio da madrugada. Já sobre Vinícius é certo que o perfil de agressividade dele era bem conhecido pelos parentes. O que provavelmente o destemperado não imaginasse é que ao bater covardemente em sua nova namorada estaria perto de comer cadeia e ainda encerrar a própria carreira de futuro advogado.

Com 27 anos, Vinícius Batista Serra se meteu em uma segunda grande confusão. Na primeira já era para ele ter aprendido a lição. Em 2016, o próprio pai do rapaz, Zacarias Batista de Lima, fez uma ocorrência policial denunciando o filho depois de uma briga dentro de casa.

O desentendimento aconteceu quando Vinícius deu falta de mil e duzentos reais que ele havia guardado em uma caixa de remédios. Desconfiado de que o irmão tivesse pegado o dinheiro ele partiu para as agressões.

Quando o pai entrou para separar a briga ele também apanhou. A violência por si só já é condenável, mas dois detalhes agravam ainda mais a covardia de Vinícius. O primeiro é que o irmão tem deficiência física. O segundo é que o valentão luta jiu-jitsu.

Ao fazer o boletim de ocorrência, o pai disse que acordou de madrugada, por volta das 2h30, com gritos vindos do quarto dos filhos. Ao abrir a porta se deparou com Vinícius desferindo golpes da arte marcial contra o irmão. Zacarias ainda levou um soco no rosto.

Na época, ele contou que o filho era faixa roxa de jiu-jitsu e andava "muito destemperado". A caixa com a grana tinha sido jogada no lixo pela mãe dos rapazes.

O caso não prosseguiu. Tempos depois o pai retirou a queixa contra o filho na Justiça, o que ajudou o brigão a prosseguir com a intenção de se tornar advogado. Segundo a OAB, idoneidade moral é um pré-requisito indispensável para o exercício da profissão. Era para ele ter aprendido a lição.

Mas talvez Vinícius não tenha estudado ou se informado sobre essa parte e continuou com a postura de valentão. Ao se enfiar em outra enrascada, agora muito mais grave, ele chamou para si a atenção da Ordem dos Advogados do Brasil.

Vinícius tem apenas o registro de estagiário ativo. A situação dele é regular na OAB-RJ. Ele foi aprovado no 27º Exame de Ordem Unificado, um dos mais concorridos no país. O resultado saiu no dia 12 de fevereiro.

Na etapa seguinte o candidato é submetido a um conselho que avalia até a vida pregressa. Só em seguida a carteira da OAB é entregue em uma solenidade própria.

Segundo a assessoria de imprensa da Ordem, a entidade pode negar a concessão da carteira profissional a quem tem um fato público grave e de repercussão.

A OAB-RJ soltou uma nota condenando as atitudes de Vinícius. A Ordem fez questão de ressaltar um grande descontentamento com o caso e lembrou que a advocacia tem o seu Código de Ética e Disciplina.

Em um trecho a OAB-RJ disse que sente "o mais profundo sentimento de repúdio" com o ocorrido. Se Vinícius tiver negado o pedido dele de registro junto à Ordem ele ficará impedido de exercer a profissão.

 

Como foi

 

Ainda está precoce para se contar em detalhes o que aconteceu na madrugada de sábado para domingo. Só depois que os dois envolvidos prestarem depoimento à polícia será conhecida uma versão mais clara.

O que se sabe é que ele mora com a família no Leme, bairro da zona sul carioca. Elaine na Barra da Tijuca. Os dois se conheceram pela internet. Era a primeira vez que o casal se encontrava depois de 8 meses trocando mensagens. Vinícius foi tomar um vinho na casa dela.

Por qual motivo a briga começou é uma grande incógnita. De madrugada, quando eles dormiam na casa da Elaine, Vinícius agrediu brutalmente a namorada. A balbúrdia durou em torno de 4 horas. Nesse período um dos seguranças do prédio teria ido até o apartamento e batido na porta várias vezes, segundo ele declarou a polícia. Mas o ensandecido gritava lá de dentro: "Se quiser, arrebente a porta!".

Foi o zelador do condomínio que chamou a polícia, depois de ser avisado por outros moradores sobre os gritos de socorro. Uma vizinha de Elaine resolveu entrar no apartamento após os berro e encontrou a mulher caída e muito machucada. No primeiro momento, ela pensou que Elaine estivesse morta.

Como Vinícius já tinha saído do ap, mas ainda não havia passado pela portaria, o funcionário do condomínio o deteve e avisou a polícia.

 

O motivo

 

A delegada Adriana Belém, que investiga o caso, ainda apura o que teria levado Vinícius a agredir uma mulher indefesa de forma tão violenta. A única explicação que ele deu até agora foi a de que bebeu uma garrafa de vinho com Elaine e os dois dormiram. De madrugada acordou em surto psicótico e passou a espanca-la.

Para a polícia isso é pouco provável. A delegada acha que Vinícius fez tudo de forma planejada, porque ao chegar ao condomínio ele se identificou ao porteiro com outro nome. Disse que se chamava Felipe.

"É inconcebível a gente acreditar que uma pessoa que vá ter um surto já entre de forma premeditada com um outro nome, no apartamento dessa moça. Essa pessoa que alega ter tido um surto psicótico já agrediu um irmão deficiente, já existe um registro de 2016, já agrediu o pai. Então seriam tantos surtos assim?", disse a delegada.

"Eles marcaram um encontro, e, em determinado momento, algo aconteceu ali. Nós vamos buscar isso. Tudo ficará mais claro depois que a vítima puder ser ouvida. Queremos, agora, saber por que Vinícius praticou aquele ato de monstruosidade, aquelas agressões absurdas", completou Adriana.

A delegada revelou também ter recebido denúncias de que o estudante agrediu a mãe dele alguns anos atrás, mas não existe registro policial sobre essa ocorrência.

Nas últimas horas surgiu outra versão em redes sociais que foi divulgada por muitas pessoas. O que teria levado o rapaz a se aproximar de Elaine seria uma vingança contra a família Gracie, formada por vários lutadores de jiu-jítsu. Essa hipótese é sustentada pelo fato da paisagista ter sido casada com Ryan Gracie e ter tido um filho com ele, que também é lutador e mora no exterior.

Ainda de acordo com as pessoas que propagaram essa história, teria sido de Vinícius a iniciativa de se aproximar de Elaine através de uma rede social.

A Polícia Civil esteve no apartamento da família do agressor para entregar uma intimação para os pais. Na terça eles eram aguardados para depor, mas não compareceram à 16ª DP, que fica na Barra da Tijuca. A delegada Adriana Belém quer traçar um perfil do estudante de direito e vai intimar novamente os parentes do lutador.

A família justificou que não foi até a delegacia porque ainda não contratou um advogado.

Elaine segue internada. Ela precisou levar 40 pontos na parte interna da boca. A vítima teve ainda fraturas no nariz e em ossos da face. O corpo dela permanece cheio de hematomas e marcas das mordidas que levou.

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Quem é o homem que espancou a paisagista e quase matou a mulher

Enviando Comentário Fechar :/