O jovem garante que foi por amor, mas os vizinhos da casal alegam que o marido raramente aparece na casa da esposa
Rapaz de 24 anos casa com prima de 81 para escapar do serviço militar

O personagem da história que tomou conta do noticiário da Ucrânia mora em uma localidade chamada Baykovka, que fica bem próxima da cidade de Vinnitsa. Segundo as leis do país europeu, todo jovem entre 18 e 26 anos é obrigado a cumprir o serviço militar.

Há exceção é prevista para homens que são casados e necessitam cuidar da esposa que apresentar qualquer tipo de invalidez. Nesse caso, o cidadão fica dispensado de se juntar à tropa.

Alexander Kondratyuk está com 24 anos. A prima dele, a senhora Zinaida Illarionovna tem 81 anos. Para surpresa dos vizinhos da noiva, ela se casou com um homem 57 anos mais jovem.

A diferença de idade já era suficiente para chamar a atenção de todos que conhecem o casal. Mas para confirmar as suspeitas que o rapaz tinha contraído matrimônio só para escapar do serviço militar obrigatório, Alexander raramente é visto no lugarejo.

"[Illarionovna] tem muito mais probabilidade de ser visitado por seus sobrinhos, netos e irmãs do que por seu suposto marido", disse um vizinho a um canal de TV local.

O jornal Metro conversou com outra vizinha. A mulher afirmou que a idosa morava sozinha, e que o único sinal do casamento suspeito é o certificado que Zinaida carrega para mostrar aos militares que aparecem na área em busca de novos recrutamentos.

Ainda na reportagem, o "jovem" marido negou que tivesse casado por interesse. Ele jura que a razão do enlace foi a "forte afeição" que tem pela prima. A versão é sustentada por Zinaida, que garante que o esposo "é um bom marido" e que cuida muito bem dela.

De acordo com a imprensa ucraniana, teria sido aberta uma investigação para se ter certeza de que o casamento não passou de uma manobra para Alexander driblar as leis do país.

As forças armadas negaram que exista uma investigação, alegando que não têm interesse em averiguar o caso.

Para o comissário de Vinnitsa, Aleksandr Danilyuk, responsável pelo recrutamento, Alexander tinha o direito de ter seu serviço militar cancelado porque é o guardião de uma pessoa com deficiência registrada.

Como ele mostrou sua certidão de casamento e outro documento que prova que mora na casa de Illarionovna, nenhuma ação pode ser tomada, disse o comissário.

Para o advogado Roman Korchenyuk ainda há uma maneira de Alexander ser convocado. "Se eles provarem que não há casamento válido e que não há um lar comum, ele pode ser chamado para prestar serviço militar", disse.

O especialista jurídico disse ainda que o exército poderia chamar vizinhos de testemunhas se houvesse dúvida de que ele morava na casa.

 

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Rapaz de 24 anos casa com prima de 81 para escapar do serviço militar

Enviando Comentário Fechar :/