E não é só a primeira-ministra que no país dela chama a atenção pela idade. A ministra das Finanças tem 32 anos
Uma finlandesa de 34 anos se torna a chefe de governo mais jovem do mundo

 

No último final de semana, enquanto muita gente passou o domingo querendo saber quem seria eleita a mulher mais linda do planeta no Miss Universo, realizado na Geórgia, nos Estados Unidos, outra representante do sexo feminino conquistava um título ainda mais extraordinário. Ao ser escolhida a primeira-ministra da Finlândia, Sanna Marin passou a ser atualmente a mais jovem chefe de governo de um país.

Essa finlandesa, que nasceu na capital Helsinque, passou a sua infância e juventude na cidade de Pirkkala. Os estudos foram voltados para Administração. Formou-se em 2017 na Universidade de Tampere, defendendo uma tese sobre a profissionalização dos dirigentes políticos em cinco cidades finlandesas. Bem antes de conseguir o diploma Sanna já estava na política. Com apenas 21 anos ela começou a se dedicar à carreira que sonhava. Em 2013, assumiu o posto de presidente da câmara de Tampere, cargo que equivale ao de prefeito da cidade. Um ano depois se tornou vice-presidente do Partido Social-Democrata (SDP), e em 2015 virou deputada no parlamento finlandês.

O grande salto na vida pública aconteceu esse ano. Em abril, o SDP venceu as eleições gerais, derrotando o partido anti-imigrante finlandês, considerado de extrema-direita. Os sociais-democratas assumiram o governo em junho, e Antti Rinne se tornou o primeiro-ministro. Para o ocupar o ministério de Transportes e Comunicações, o premiê convidou Sanna Marin.

Mas o novo governo não andou bem nos primeiros seis meses. Na terça-feira da semana passada (03/12), Antti renunciou, desgastado com a crise de relacionamento com um de seus maiores aliados, o Partido de Centro. Rinne perdeu a confiança de seus apoiadores por causa de sua postura diante de um conflito trabalhista entre sindicatos e a estatal de correios Posti. Os funcionários cruzaram os braços por duas semanas e a greve causou prejuízos milionários ao país.

O Social-Democrata teve que se reunir as pressas para escolher um novo primeiro-ministro e o nome de Sanna ganhou a preferência do partido. A escolha dela foi oficializada em uma eleição interna no domingo. Marin conquistou a seu favor 32 votos, contra 29 do principal rival.

A segunda etapa para ter o nome aprovado como de premier aconteceu no parlamento. Dois dias depois de ser a indicada do SDP, Sanna recebeu o sim dos deputados. Ela obteve 99 votos a favor e 70 contra.

 

Mais mulheres formarão o governo finlandês

 

Além da confirmação de Marin como primeira-ministra, os cinco partidos da coalizão decidiram permanecer no governo, mas quatro agora são liderados por mulheres. As mudanças geraram uma reestruturação política, embora os programas tenham sido mantidos.

A líder do Partido de Centro, Katri Kulmuni, foi escolhida a Ministra de Finanças. Katri é ainda mais nova do que a premiê. Ela tem apenas 32 anos. "Queremos fazer este eixo entre a primeira-ministra e a ministra das Finanças funcionar", declarou Kulmuni. "Esta é a fundação para esta nova geração de colaboração", disse ao explicar a continuação do Partido de Centro no governo.

Kulmuni, que já foi Ministra de Assuntos Econômicos, vai substituir a Mika Lintila.

Outros três ministérios mantiveram mulheres à sua frente. Líder do Partido Verde, Maria Ohisalo, de 34 anos, continuará responsável pela pasta do Interior. A presidente da Aliança de Esquerda, Li Andersson, de 32 anos, permaneceu na área da Educação, enquanto Anna-Maja Henriksson, de 55 anos, do Partido do Povo Sueco, responde pelo ministério da Justiça.

 

Os desafios da primeira-ministra

 

Sanna Marin é considerada uma integrante da ala progressista do Partido Social-Democrata, e ela terá muito trabalho nos próximos dias. O maior problema do governo finlandês atualmente é uma onda de greves que tem interrompido a produção de importantes empresas. A Confederação Finlandesa das Indústrias estima que as paralisações podem acarretar um total de 500 milhões de euros em receitas perdidas.

Em uma mensagem ao Parlamento, assim que foi nomeada primeira-ministra, Marin disse que espera recuperar a confiança em seu partido. "Prometemos ao povo finlandês uma mudança e agora devemos cumprir essa promessa", concluiu.

Ao tomar posse, Sanna se tornou a premiê mais jovem do mundo, superando o primeiro-ministro ucraniano Oleksiy Honcharuk, que tem 35 anos.

Marin foi criada por sua mãe e a namorada. Ela conta que aprendeu com a sua "família arco-íris" a importância de "igualdade, equidade e direitos humanos". Nos últimos dias, ao ser questionado sobre a idade, a chefe de governo da Finlândia disse que "nunca pensei em minha idade ou sexo, penso nas razões pelas quais entrei na política e nas coisas pelas quais conquistamos a confiança do eleitorado".

 

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Uma finlandesa de 34 anos se torna a chefe de governo mais jovem do mundo

Enviando Comentário Fechar :/