O velocista jamaicano foi o grande destaque do time dele em um amistoso na Austrália. E, de novo, o "Raio" caiu duas vezes no mesmo lugar

O futebol da sexta-feira Santa teve a vitória da seleção brasileira sobre a Arábia Saudita, o terceiro triunfo depois da Copa do Mundo. Nada mal. O time de Tite foi bem contra um adversário que exigiu muito pouco e agora vai encarar a Argentina na terça-feira. Um teste bem mais complicado. Vamos acompanhar.

Mas o que chamou a atenção no feriadão foi o homem mais veloz do mundo e seus primeiros gols como jogador do Central Coast Mariners, da Austrália. O feito foi na goleada por 4 a 0 sobre o MacArthur South West United, em uma partida amistosa.

Usain Bolt marcou duas vezes no segundo tempo da partida amistosa. A comemoração dos gols, como esperado, teve a clássica encenação do raio.

Foi a segunda apresentação do ex-velocista, que jogou cerca 75 minutos como centroavante até ser substituído. No primeiro jogo Bolt atuou como ponta-esquerda e entrou na equipe apenas no segundo tempo.

Após o duelo, o jogador celebrou: “Estou feliz por poder vir aqui e mostrar ao mundo que estou melhorando. Estou ansioso para ser um ‘Mariner’ (apelido de seu time), e entrar no time”.

Bolt deve ser a maior atração do pouco badalado Campeonato Australiano, caso assine contrato. Mas não é só por causa do currículo cheio de conquistas que Usain anda mandado bem por lá. O motivo é a postura da superestrela do esporte que tem rendido muitos elogios fora do ambiente do futebol.

"A melhor coisa sobre Usain Bolt é que ele é tão humilde. Ele se encaixou bem com os rapazes. Desde o seu primeiro dia até agora, a transformação é enorme". As palavras são de Ross McCormack, companheiro de time do jamaicano, em entrevista à Fox Sports.

E a simplicidade é mesmo uma das maiores marcas do homem acostumado justamente a quebrar marcas. Tricampeão olímpico nos 100 e 200 metros, e recordista mundial nas duas provas, o Raio encanta por onde passa pela humildade.

Nas duas vitórias nos Jogos de Olímpicos de Londres, em 2012, Bolt parou de dar entrevistas quando ouviu o hino dos países de atletas que estavam no topo do pódio recebendo suas premiações.

No enterro de um amigo na Jamaica, Usain ajudou a cavar a cova onde o parceiro de esporte, Germaine Mason, foi enterrado depois de sofrer um acidente.

Dá para listar facilmente uma dezena de atitudes simpáticas, de generosidade e respeito desse mito do esporte.

Bolt nasceu em uma pequena cidade da Jamaica. Seus pais, Wellesley e Jennifer Bolt, eram donos de um pequeno mercado na área rural onde o rebento passava o tempo na rua jogando críquete e futebol com seu irmão Sadiki.

Ainda criança, Usain cursou a escola primária Waldensia e foi ali que despertou a atenção para seu potencial para a velocidade.

Aos 12 anos era o mais rápido aluno nos 100 metros rasos. Depois de entrar na escola secundária, passou a praticar outros esportes, mas seu técnico de críquete notou a velocidade do garoto no campo de jogo e insistiu para que ele se dedicasse ao atletismo, apesar da preguiça do pupilo com a falta de dedicação aos treinamentos.

Bolt cresceu no tamanho e no profissionalismo. Se tornou um mito do esporte ao lado de figuras como Roger Federer (no tênis), Ayrton Senna (no automobilismo) e Pelé (no futebol).

Usain Bolt ainda não tem contrato como jogador do Central Coast Mariners e corre para convencer os dirigentes do clube a dar uma oportunidade maior para ele. A primeira rodada do Campeonato Australiano ocorre na semana que vem e o time dele joga diante do Brisbane Roar.

Mas, com os primeiros gols que marcou, o tricampeão olímpico no atletismo deu um sprint rumo a assinatura do compromisso.

É melhor o time dele não perder tempo antes que surjam novos interessados no futebol do Raio. Afinal, brincar com esse cara nunca é um bom negócio, ele tá sempre deixando alguém para trás. No bom sentido.

Usain Bolt

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Usain Bolt faz gols e corre para assinar primeiro contrato

Já temos 1 comentário(s). DEIXE O SEU :)
Marcia Mendes

Marcia Mendes

Um vencedor que nunca perdeu a generosidade e o respeito. Este campeão é um exemplo antes de tudo.
★★★★★DIA 13.10.18 20h43RESPONDER
Guilherme Mendes
Enviando Comentário Fechar :/
Enviando Comentário Fechar :/